Autor Tópico: [UFC 216] Ferguson vs Lee - 07 de Outubro  (Lida 133 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Rodrigo Cesar

  • Administrador
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2008
  • Localidade: São Paulo - Brasil
  • Mensagens:
    36513
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    4763
em: 05 de Outubro de 2017, 04:31
The wisdom of the fool won't set you free

http://www.apostaganhabr.com/



Biscione

  • Devedor
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2011
  • Localidade:
  • Mensagens:
    168
    Pts Tipsr:
    86
em: 05 de Outubro de 2017, 17:51
UFC 216 Ferguson vs.Lee
Luta: Fabricio Werdum vs. Derrick Lewis
Data e Hora: 08 Out 04:00 GMT


O octógono mais famoso do mundo está de volta este fim de semana à T-Mobile Arena em Las Vegas. Numa semana difícil para a cidade este evento acaba por ser uma forma de se voltar à normalidade, com muitas lutas interessantes, entre as quais, um confronto entre dois pesos-pesados que buscam voltar às vitórias.

Fabricio Werdum, 40 anos, é talvez um dos melhores pesos-pesados da história do MMA. Ex-campeão do UFC, lutou também no Pride e no Strikeforce e tem vitórias frente aos melhores nomes da história do desporto como Fedor Emelianenko, Cain Velasquez ou Alistair Overeem.
Já com muita experiência de ringue, Werdum é conhecido por ser um dos maiores representantes do BJJ no MMA, duas vezes campeão mundial do ADCC e com metade das suas vitórias no MMA provenientes de finalizações.
Soube também desenvolver uma boa capacidade de troca de golpes, apoiado principalmente no Muay-Thai que aprimorou junto do Mestre Rafael Cordeiro da King´s MMA, e isso acabou por ser vital para que alcançasse o cinturão do UFC em 2015.
Foi sol de pouca dura pois perdeu a cinta passado um ano para Stipe Miocic, onde pagou caro o erro de se expor com negligência aos golpes do americano.
Nos seus dois últimos combates notou-se uma maior cautela nessa exposição, e prova disso é que ambas as lutas foram a decisão. Se primeiro frente a Travis Browne aplicou um “gameplan” que já tinha dado certo frente ao mesmo lutador, já na última luta, na derrota frente a Alistair Overeem, pecou pela falta de ação por culpa própria, tentando algumas vezes chamar o adversário para a guarda, algo que o oponente evidentemente recusou, e não capitalizou nos golpes quando Overeem aparentava estar “tocado”.

Derrick Lewis, 32 anos, tem uma carreira profissional relativamente curta de apenas sete anos.
Chegou ao UFC em 2014 e numa categoria de pesos-pesados relativamente “magra” de oponentes acabou por fazer nome rapidamente, muito por culpa da sua figura imponente e nocautes impressionantes, mas também por lutar com relativa frequência, não estando parado muito tempo entre lutas.
Com o “Black Beast” não há muito por onde enganar no seu estilo de luta, um apanágio do peso-pesado, socos e golpes potentes em busca do chamado “one hitter quitter”. Quando acerta em cheio é normalmente final de luta, mas quando não acha esse KO acaba por sentir dificuldades a nível cardiovascular, diminuindo a capacidade de se mover e atirar combinações, tornando-se mais previsível.
Depois de na sua última luta em junho ter perdido para Mark Hunt, Lewis queixou-se de algumas lesões mal curadas e deixou no ar a ideia de que se ia retirar, ideia essa na qual acabou por recuar rapidamente.

Numa luta qualquer coisa pode acontecer, mas numa luta de pesos-pesados essa expressão é altamente amplificada. Ainda assim nesta luta vejo um caminho como o mais que provável a acontecer.
Werdum é aqui de longe o lutador mais experiente, com maior pulmão e consequentemente com o maior QI de luta. Tem contra si o facto de já ter passado a barreira dos 40 anos e de não ter propriamente um queixo dos mais confiáveis.   
Lewis tem maior envergadura, é mais novo e claramente ganha no poder de nocaute, mas creio ter também aqui um problema de foco e concentração na luta.
Esse problema de foco ficou muito visível frente a Hunt, onde muito cedo pareceu desistir da luta e completamente sem cardio disponível para enfrentar três assaltos, quantos mais os cinco possíveis naquela altura.
Outra questão importante tem a ver com o facto de que há praticamente quatro semanas, Lewis viu-se envolvido, assim como toda a sua cidade de Houston, no Furacão Harvey que devastou a cidade texana. Lewis envolveu-se heroicamente em várias tentativas de ajudar os seus concidadãos no terreno e a questão passa aqui por aferir até que ponto isso interferiu no “training camp” de Lewis, pois interferência certamente teve, chegando ao ponto de Lewis referir durante esta semana em entrevistas que não se sente focado e centrado na luta quando ainda vê amigos e familiares a passar por muitas dificuldades em Houston
Este cenário de preparação deficiente deve afetar Lewis que se não achar o queixo de Werdum cedo, vai acabar por sentir problemas na luta.
O “Vai Cavalo” deverá manter-se afastado do gancho direito de Lewis usando bastantes pontapés e algum “clinch”, e com bastante movimentação deverá ir desgastando o norte americano que acredito que a partir do 2º round já sinta as pernas a pesar bastante e com muita dificuldade em ser imprevisível nos seus golpes assim como de acumular volume nos mesmos. Será então uma questão para Werdum ir pontuando, se não quiser arriscar excessivamente, ou então poderemos ver o “Vai Cavalo” a tentar já na segunda metade do combate deixar Lewis de costas no chão pondo o seu premiado BJJ em ação, o que frente a um lutador como Derrick Lewis na questão da “arte suave” será carne para canhão.
Seja de que forma for, apenas se Werdum for de uma negligência muito grande não vencerá este combate pois tem todas as ferramentas para levar a vitória para casa.


Aposta: Fabricio Werdum @1.40 Bet365



Biscione

  • Devedor
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2011
  • Localidade:
  • Mensagens:
    168
    Pts Tipsr:
    86
em: 06 de Outubro de 2017, 13:06
UFC 216 Ferguson vs.Lee
Luta: Tony Ferguson vs. Kevin Lee
Data e Hora: 08 Out 05:00 GMT


No main event da noite temos em disputa o cinturão interino de pesos leves, divisão que tem como campeão linear Conor Mcgregor, que por andar “ocupado” a tentar outros desportos acaba por abrir espaço para que o combate deste fim de semana aconteça.

Tony Ferguson de 33 anos vai aparentemente disputar finalmente o cinturão de pesos leves do UFC.
Vencedor da 13ª temporada do TUF, Ferguson em treze lutas que disputou no UFC venceu doze e leva atualmente uma série consecutiva vitoriosa de nove lutas, entre os quais soma sucessos frente a Edson Barboza, Rafael dos Anjos ou Gleison Tibau.
Depois de já ter estado escalado para esta disputa de cinturão em março passado, na altura frente a Khabib Nurmagomedov, a luta acabou por cair após o russo ser hospitalizado por problemas com o corte de peso. Uma vez que Nurmagomedov ainda não se apresenta pronto para combater, eis que o UFC escalou Kevin Lee para ser o parceiro de disputa de Ferguson.
Ferguson apresenta-se como um “freestyle fighter” com um estilo pouco ortodoxo e bastante difícil de emular.
Apresenta um “striking” bem desenvolvido e volumoso com a particularidade de atacar de sítios e formas muitas vezes inesperadas. Faixa castanha de BJJ sob Eddie Bravo, tem um jogo de submissões bastante perigoso, com chaves de estrangulamento que se adequam perfeitamente ao seu corpo longilíneo e flexível.
No seu estilo pouco ortodoxo é algumas vezes suscetível de ser acertado pelos golpes contrários, mas contrapõe com o facto de ter um queixo bastante confiável e de nunca ter sido nocauteado na carreira.

Kevin Lee de 25 anos, chega a esta disputa de cinturão de forma um pouco inesperada, mas oportunista, pois acaba por aproveitar da melhor maneira o momento ao autopromover-se da melhor forma.
Com um estilo forjado no wrestling universitário, o “Motown Phenom” como muitos wrestlers norte americanos transacionou da luta livre para o MMA e tornou-se profissional em 2012. Com um início invicto de carreira a oportunidade no UFC chegou rapidamente e apesar de ter somado uma derrota frente a Al Iaquinta na sua estreia, somou desde aí nove vitórias em dez combates com as cinco últimas de forma consecutiva.
Na última vitória e depois de ter finalizado Michael Chiesa, foi inteligente ao envolver-se num “trash-talk” com Tony Ferguson que naquele momento fazia comentários no estúdio da Fox o que logo aí estabeleceu um ponto de interesse para a possível luta.
A confirmação de que iria disputar o cinturão interino com Ferguson acaba por surgir após relatos de que Khabib Nurmagomedov não estaria disponível para a data marcada pelo UFC para o combate o que abre uma gigantesca oportunidade para Lee se posicionar no topo da divisão.
Lee é aquele típico “grinding wrestler” muito forte e dominador e que basicamente usa desse domínio para fechar as potencialidades do adversário, acabando muitas vezes por aproveitar para terminar a luta através de submissão ou castigando o oponente até uma decisão. O senão é que se não consegue estabelecer esse “gameplan” acaba por ver aumentadas exponencialmente as suas dificuldades pois mesmo sendo dono de um “striking” sólido, esse não é de todo o seu forte e é lá que residem os seu maiores “buracos” a aproveitar pelos adversários.

Um match-up interessante e curioso uma vez que ambos os lutadores têm “backgrounds” similares de wrestling na mesma universidade do estado do Michigan nos EUA. Ambos são também lutadores com envergaduras e alturas bem acima da média para um normal peso leve. Contudo os dois também têm estilos de luta bem diferentes e no final de contas será aquele que conseguir imprimir o seu plano de jogo a levar o cinturão para casa.
Ferguson trás por norma um estilo e ritmo frenético à luta, sempre muito móvel e a exercer muita pressão e desgaste ao adversário. Não acredito que aqui mude essa sua impressão digital de luta, de deixar constantemente o oponente a recuar perante o uso permanente de “jabs” e cotoveladas inesperadas.
Já Lee exerce uma pressão mais unidimensional, usando o seu “striking” como preparação dos seus “takedowns”, sempre muito poderosos e profundos, para depois “moer” autenticamente o adversário em “ground n´pound” ou rapidamente tomar as costas do oponente para finalizar com aquela que é a sua submissão de assinatura, o “mata-leão”.
A questão aqui vital para mim passa pela imprevisibilidade ou falta dela que cada um dos lutadores pode pôr na mesa e nesse aspecto a vantagem vai claramente para Ferguson que para mim é um lutador bastante mais completo e criativo, com todas as ferramentas para fazer face ao estilo “wrestler” de Lee.
Kevin se não partir cedo para a tentativa de queda vai ter dificuldades em acompanhar o “striking” mais evoluído e de ângulos mais imprevisíveis de Ferguson e sempre que estabelecer mudanças de nível de altura corporal para assumir aqueles “double legs” corre também o risco de ser apanhado pelo “D’Arce choke, um tipo de estrangulamento na qual Ferguson é um verdadeiro especialista na forma em como utiliza os seus longos membros superiores. De referir que o rácio de defesa de quedas de Ferguson ronda os 80% de acerto o que atesta ainda mais da dificuldade que Lee vai ter em conseguir pôr em prática aquele que vejo como o único plano de jogo que possa pôr em ação na luta.
Em suma, Ferguson é um lutador mais experiente, mais apetrechado, e que já bateu adversários incomparavelmente melhores do que a concorrência que Lee derrotou para chegar até aqui. Seja por finalização ou na decisão dos juízes, a vitória não deverá fugir ao “El Cucuy” que desta forma se assumirá como uma forte possibilidade a ser o próximo adversário de Conor Mcgregor para aí se unificar o cinturão de pesos leves.


Aposta: Tony Ferguson @1.44 Bet365



Forum de Apostas

Re: [UFC 216] Ferguson vs Lee - 07 de Outubro
« Responder #2 em: 06 de Outubro de 2017, 13:06 »

Carll Rodrigues

  • Devedor
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Set 2017
  • Localidade: Cairu-BA
  • Mensagens:
    127
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    2
em: 07 de Outubro de 2017, 05:23
UFC 216 - 07/10/17 - 23h00 (BRT)
Luta: Fabricio Werdum vs. Derrick Lewis

Aposta:
FABRÍCIO WERDUM
Odd: 1.40 @Bet365


Depois de um final de semana de folga, o Ultimate Fighting Champioship volta à ação neste sábado, 7 de outubro. Com 13 lutas na programação, o UFC 216 será realizado na T-Mobile Arena, em Paradise (Nevada, Estados Unidos). Dois títulos mundiais estarão em disputa. Porém, para os fãs brasileiros das artes marciais mistas o principal combate da noite reunirá o gaúcho Fabricio Werdum e o norte-americano Derrick Lewis.


Desempenho recente de Derrick Lewis:

Nascido em Nova Orleans (Lousiana, Estados Unidos), Derrick James Lewis tem 32 anos e 1,91 metro. Apelidado de “a besta negra” começou sua carreira nas artes marciais mistas em 2010. Desde então, fez 24 lutas. Ganhou 18 delas sendo que apenas uma por decisão dos jurados. As outras 17 foram encerradas mais cedo. Dezesseis delas foram definidas através de nocaute e uma por submissão. As derrotas foram cinco, sendo duas delas por pontos e três por nocaute. Um dos combates foi considerado nulo.
Lewis entrou no octógono pela última vez no UFC Fight Night de Auckland, Nova Zelândia. Em 11 de junho, foi derrotado por nocaute técnico pelo neozelandês Mark Hunt. O resultado interrompeu sua ascensão na tentativa de virar um desafiante ao título mundial.
Ele havia conseguido seis vitórias seguidas nessa caminhada. Duas dessas lutas foram consideradas as melhores da noite. Derrick recebeu essa indicação em 10 de abril de 2016 ao superar Gabriel Gonzaga no UFC Fight Night de Zagreb (Croácia) e repetiu a dose ao derrotar Travis Browne, por nocaute, no UFC Fight Night de Halifax (Canadá), em 19 de fevereiro.


A forma atual de Fabrício Werdum:

O hino do Grêmio deve ser a trilha sonora da entrada de Fabrício Werdum no octógono neste sábado. O lutador nascido em Porto Alegre fez essa escolha como forma de homenagear o avô de sua esposa, que morreu recentemente.
Aos 40 anos, o brasileiro mora em Los Angeles, na Califórnia, e também ambiciona a oportunidade de disputar novamente o cinturão dos pesados do UFC. Ele ganhou o título, de forma interina, ao superar Mark Hunt, por nocaute técnico, no UFC 180, disputado em 15 de novembro de 2014 na Cidade do México. Confirmou a conquista e, de quebra, teve sua vitória diante de Cain Velasquez sendo considerada a luta da noite no UFC 188, em 13 de junho de 2015, também realizado no México.
Porém, seu reinado não foi dos mais longos. Diante da torcida nacional no UFC 198, realizado em Curitiba em 14 de maio de 2016, foi batido por nocaute por Stipe Miocic.
Iniciou sua tentativa de retomada do cinturão batendo Travis Browne, por decisão unânime dos jurados, no UFC 203, em Cleveland (Ohio, Estados Unidos), em 10 de setembro de 2016. Porém, também sofreu um revés em sua caminhada. Foi batido por Alistair Overeem no UFC 213, em 8 de julho de 2017, realizado em Las Vegas.
Werdum começou nas artes marciais mistas em 2002 depois de ter formação em jiu-jitsu, judô e muay thai. No jiu-jitsu, colecionou quatro medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze em campeonatos pan-americanos e quatro de ouro, uma de prata e duas de bronze em mundiais.
Nos octógonos, realizou 29 combates. Ganhou 21, sendo 16 por nocaute (seis) ou submissão (10) e cinco por decisão. As derrotas foram 7, sendo duas por nocaute e cinco por pontos. Houve ainda um empate.

Conclusão:
A luta é fundamental para que ambos continuem a perseguir a meta de disputar o cinturão. Mais experiente e com um cartel com vitórias diante de adversários mais fortes, Werdum parece ser a melhor opção de palpite.



FilipeXIV

  • Milionário
  • F
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    1614
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    553
em: 07 de Outubro de 2017, 12:46
- Data e Hora do Jogo: 07/10/2017 às 19:30hs (Brasília)
- Desporto: MMA
- Nome da Competição: UFC 216
- Nomes das equipas ou jogadores em contenda: Thales Leites x Brad Tavres
- Tipo de Aposta e respectiva Odds e Casa ou Bolsa de apostas: Vitória de Thales Leites @2,35 na Premiwin

Luta válida pelo peso médio e parte do card preliminar do UFC 216, que vai acontecer na noite deste sábado, horário de Brasília.

O brasileiro Thales Leites tem um cartel de 27 vitórias e 7 derrotas ao longo da carreira, com destaque para 15 triunfos por finalização, sua especialidade.

Depois de chegar à marca de 8 vitórias seguidas, Leites vem alternando boas e más atuações, com três derrotas e duas vitórias nas últimas cinco lutas.

O norte-americano Brad Tavares tem um cartel de 15 vitórias e 4 derrotas ao longo da carreira, com destaque para 9 vitórias na decisão dos juízes e 4 por nocaute.

Tavares também não vive sua melhor fase, perdendo duas das últimas cinco lutas, mas vem de dois triunfos seguidos, sendo o mais recente sobre Elias Theodorou, em julho desse ano.

O brasileiro já disputou o cinturão do UFC, quando perdeu para Anderson Silva, na oportunidade. Chegou a sair do evento, voltou e engatou uma boa sequência, interrompida por Michael Bisping, em 2015, mas ainda tem muita lenha pra queimar, com seu jogo muito justo, boxe razoável e um chão de alto nível.

O norte-americano faz parte da Xtreme Culture, o que já dá uma dimensão do alto nível de wrestling que tem, seu carro chefe.

Acho que deve ser uma luta mais estudada, pouco aberta, já que os dois não são grandes trocadores, mas sim de alto nível na luta agarrada.

Ao mesmo tempo em que Leites é um ótimo finalizador e pode buscar uma posição a qualquer momento, Tavares nunca foi finalizado, o que significa que se defende bem mesmo em uma área que pode ser perigosa pra ele.

Das últimas cinco lutas do brasileiro, apenas uma, quando finalizou Chris Camozzi, não foi pra decisão dos juízes, enquanto o norte-americano vem de dois triunfos justamente na papeleta dos juízes.

São dois lutadores com jogo bem parecido, sem muito punch, com Leites sendo um grande representante do jiu jitsu e Tavares usando seu wrestler pra evitar cair por baixo. O histórico recente aponta a tendência de uma luta longa, com grandes chances de parar na decisão dos juízes, sem um favorito muito claro. Porém, em uma luta bem equilibrada, vale arriscar um pouco mais e apostar na vitória de Thales Leites.
links não permitidos na assinatura.



Biscione

  • Devedor
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2011
  • Localidade:
  • Mensagens:
    168
    Pts Tipsr:
    86
em: 08 de Outubro de 2017, 11:26

Luta: Fabricio Werdum vs. Derrick Lewis

Aposta: Fabricio Werdum @1.40 Bet365 :devolvida:
Luta cancelada a poucas horas do combate devido a uma lesão nas costas que impossibilitou Lewis de combater.
Werdum acabou por defrontar e submeter Walt Harris que subiu do card preliminar para defrontar o brasileiro.



Luta: Tony Ferguson vs. Kevin Lee

Aposta: Tony Ferguson @1.44 Bet365 :ganha:
Ferguson finalizou o combate no 3º assalto com um estrangulamento a partir de um triângulo de perna.
Lee veio com tudo nos rounds iniciais mas não teve gás nem plano de jogo para aguentar o ritmo. O BJJ de Ferguson tratou do resto.



Tags:

 


Rede Apostaganha: Apostas e Prognósticos / Palpites e Dicas de Apostas / Pronósticos de Apuestas / Betting Tips and Predictions