Autor Tópico: [UFC Fight Night] Machida vs. Brunson - 28 de Outubro  (Lida 134 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Rodrigo Cesar

  • Administrador
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2008
  • Localidade: São Paulo - Brasil
  • Mensagens:
    38775
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    5091
em: 05 de Outubro de 2017, 04:29
The wisdom of the fool won't set you free

http://www.apostaganhabr.com/



Biscione

  • Sem Dívidas
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2011
  • Localidade:
  • Mensagens:
    282
    Pts Tipsr:
    117
em: 28 de Outubro de 2017, 12:36
UFC Fight Night Brunson vs. Machida
Luta: Derek Brunson vs. Lyoto Machida
Data e Hora: 29 Out 05:30 GMT


Luta principal da noite em São Paulo, a contar para a divisão de médios, Lyoto Machida volta ao óctogono para defrontar desta feita Derek Brunson.

Derek Brunson de 33 anos é atualmente o 7º classificado do ranking de peso-médio.
Wrestler universitário e All-American da Division II da NCAA, Brunson optou à semelhança de muitos outros colegas, por enveredar pelo MMA depois de começar a treinar outras disciplinas de combate.
Os sucessos em promoções de luta regionais acabaram por conduzi-lo até ao Strikeforce e posteriormente ao UFC. Dentro do Ultimate em onze combates apenas perdeu três e das restantes oito vitórias, seis foram com finalizações no primeiro round. Isso acaba por traçar o perfil de Brunson enquanto lutador, alguém bem versado em grappling e com umas mãos, especialmente a esquerda, mortíferas.

Lyoto Machida, brasileiro de 39 anos com raízes japonesas, poderá quase ser considerado um dos últimos “OG’s” e pioneiros das MMA.
Formado numa base de Karate e Sumo, Machida entrou nos quadros do UFC em 2007 na categoria de meio-pesado, onde passados dois anos chegou ao cinturão vencido na altura face a Rashad Evans. Defendeu o título uma vez frente a Shogun Rua para o perder no subsequente rematch frente ao mesmo Shogun. Voltou a disputar o título frente a Jon Jones e já nesta última fase da carreira e depois de ter baixado para os pesos-médios voltou a disputar um cinturão perdendo para Chris Weidman.
Num momento crucial e avançado da carreira, Machida tenta voltar às vitórias depois de ter cumprido 18 meses de suspensão por uso de substância dopante proibida, uma suspensão que aparece depois de ter sofrido duas derrotas consecutivas frente a Luke Rockhold e Yoel Romero respetivamente.

Com 39 anos, sem lutar há dois anos, vindo de duas derrotas explícitas frente a dois “monstros” da divisão e ainda com a sombra pós-USADA a pairar sobre si, Lyoto é visto pelos os oddsmakers como o underdog para esta luta, o que perante este cenário acaba por ser algo lógico.
Apesar de todos os intangíveis que neste momento podem ou não afetar a carreira de Machida, o brasileiro continua a ser na minha opinião um dos mais habilidosos “strikers” a pisar o octógono do UFC.
É precisamente a habilidade de Lyoto que poderá aqui fazer pender a luta para o seu lado, especialmente no facto de ser um prodigioso contra-atacante, que sabe ler a movimentação adversária e capitalizar no erro do oponente.
Brunson é um tipo lutador que frequentemente aposta numa “blitz” de golpes assim que se inicia a luta, aproveitando o facto de na altura estar fresco e de ser na maior parte das vezes o atleta mais poderoso fisicamente. Se consegue encostar o adversário na rede, Brunson torna-se aí um lutador ainda mais perigoso com capacidade de evoluir para o “takedown” e massacrar o oponente de cima para baixo. Este será o ponto-chave aqui da luta.
Se Machida sobreviver à entrada inicial de Brunson e se conseguir usar eficazmente o seu estilo pouco ortodoxo de golpes para seguir castigando o corpo do americano abrem-se outras chances para o brasileiro que entrará numa zona de maior conforto, devendo pontuar mais que o adversário e usufruindo de um cardio superior. É por aqui que vejo desenvolver-se a luta. 
Brunson sendo um bom lutador, não é nem de perto nem de longe um Rockhold ou um Romero, e frente a Anderson Silva e Robert Whittaker demonstrou ter dificuldades em enfrentar lutadores com “striking” evoluído e especialmente com contra-golpes bem polidos.
Machida não tendo uma defesa de quedas inexpugnável, tem contudo um wrestling defensivo sólido e um jogo de pés rápido, o que por norma significa que é alguém difícil de derrubar e ainda mais de manter no chão.
Veremos de que forma Lyoto chega depois de uma paragem de dois anos que pode significar algum “ring rust” assim como pode mostrar por outro lado um Machida já de si experiente, mas com maior frescura e recuperado de algumas guerras que já enfrentou no octógono.
Vejo o brasileiro a segurar a pressão inicial de Brunson para depois conseguir aproveitar-se das debilidades defensivas do adversário com uso da sua trocação mais deceptiva e balanceada, o que lhe deverá render uma vitória ou rounds finais da luta ou mais provavelmente na decisão dos juízes.


Aposta: Lyoto Machida @2.30 Bet365

Aposta secundária: Lyoto Machida por decisão @8.00 Betfair



Biscione

  • Sem Dívidas
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2011
  • Localidade:
  • Mensagens:
    282
    Pts Tipsr:
    117
em: 28 de Outubro de 2017, 12:43
UFC Fight Night Brunson vs.Machida
Luta: Demian Maia vs. Colby Covington
Data e Hora: 29 Out 05:00 GMT


No co-main event da noite, a contar para a divisão de meio médio, Demian Maia volta a entrar no octógono para desta feita enfrentar um norte americano em subida no ranking, de seu nome Colby Covington.

O homem da casa, Demian Maia de 39 anos, é por muitos considerado como um dos melhores grapplers da história do UFC.
Vindo de uma disputa de cinturão perdida em julho para Tyron Woodley, Maia tenta voltar a demonstrar a sua relevância na divisão mantendo-se no topo da mesma.
Faixa preta de Jiu-Jitsu e um absoluto mestre na arte da submissão, Maia fará na sua natal cidade de São Paulo a sua 27ª luta no octógono.

Colby Covington de 29 anos tenta chegar mais perto da disputa de um cinturão.
Formado na luta greco-romana universitária americana, Colby vem subindo nos rankings do UFC com performances impressionantes de pura agressão e superioridade face aos adversários.
Com uma carreira profissional apenas maculada por uma derrota por submissão para Warlley Alves onde sucumbiu a uma guilhotina, uma vitória aqui frente a um nome como Maia significaria a maior vitória de sempre do americano e um passo firme em direção ao cinturão de meio médio do UFC.

Confronto entre um veterano experimentado e um jovem que vem furiosamente subindo nos rankings e será curioso ver se Maia tem motivação para mais uma vez demonstrar a classe superior do seu BJJ no octógono ou se pelo contrário, um mais novo e “esfomeado” Covington toma o lugar do veterano numa espécie de inexorável consequência do passar do tempo.
Maia é o chamado “one trick pony”, ou seja, todos sabemos o que quer fazer e para onde quer levar a luta, e isso é ao mesmo tempo e sua maior fortaleza como também algumas vezes a sua maior fraqueza devido à unidimensionalidade do seu plano de jogo.
Na última derrota de Maia frente a Woodley, o norte americano provou como uma sólida defesa de quedas de um All-American wrestler pode ser meio caminho feito para derrotar o brasileiro e não duvidemos, o “pedigree” de Covington nesse aspeto é altíssimo e claramente uma ameaça ao sucesso do “gameplan” de Maia.
Irá isso significar que Covington opte por uma abordagem do mesmo estilo da de Woodley, ou parecida com a que Masvidal equilibrou a luta frente ao brasileiro? Acredito que em parte sim. Covington deverá inicialmente fugir do estilo de luta agarrada que lhe é familiar para pura e simplesmente não dar chances a que Maia tome o proveito de numa transição ou “scramble” achar a submissão que procura. Se Maia eventualmente perder frescura com as tentativas de dominar fisicamente Covington, talvez aí possamos eventualmente ver Colby usar do seu “feijão com arroz” para eventualmente castigar Maia no topo e levar a sua avante.
Contudo, apesar de wrestler experimentado e resistente, Covington não é um “striker” do nível por exemplo de Masvidal ou Woodley e tenho algumas dúvidas em como faça real mossa nesse terreno de luta e a questão é até que ponto se sentirá confortável em não ser ele o agressor, um apanágio do “grinding wrestler”.
É aqui que penso estar a chave da luta. Se Covington pressionar em “striking” estará com maior possibilidade de ser atraiçoado por um “double” ou single” proveniente duma mudança de nível de altura de Maia. Se usar essa pressão para quedar o brasileiro, vai arriscar esgrimir jiu-jitsu com um faixa preta em 4º grau. Se optar por ser conservador e usar o contra-ataque ao estilo franco-atirador vai fugir daquilo que é a sua essência enquanto lutador e tenho dúvidas que se sinta confortável nesse papel pois não o vejo com uma trocação superior à de Maia.
Numa luta que terá no máximo três assaltos e não cinco, acredito que os problemas de cardio que Maia algumas vezes sofre por assumir as despesas da luta, sejam minimizados pela menor duração possível da luta relativamente a uma disputa de cinturão.
Apesar de base fortíssima, a luta não encerra no wrestling, e penso que as dificuldades de Convington se irão assemelhar um pouco às que Chael Sonnen ou Jon Fitch tiveram frente a Maia, também eles Division I wrestlers que não encontraram antídoto para o grappling do brasileiro.
Nesse sentido acredito que com o apoio da torcida, Maia irá ou achar uma vitória por submissão ou quanto muito dominará pelo menos dois dos três assaltos da contenda para levar a decisão dos juízes.


Aposta: Demian Maia @2.20 Bet365



Forum de Apostas

Re: [UFC Fight Night] Machida vs. Brunson - 28 de Outubro
« Responder #2 em: 28 de Outubro de 2017, 12:43 »

Biscione

  • Sem Dívidas
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2011
  • Localidade:
  • Mensagens:
    282
    Pts Tipsr:
    117
em: 28 de Outubro de 2017, 12:50
UFC Fight Night Brunson vs.Machida
Luta: Francisco Trinaldo vs. Jim Miller
Data e Hora: 29 Out 04:00 GMT


No card principal o veterano Francisco Trinaldo, um dos favoritos da torcida brasileira, vai defrontar um outro veterano do UFC, o norte americano Jim Miller, num combate a contar para o peso-leve.

Francisco Trinaldo, o Massaranduba, de 39 anos é um caso interessante de um lutador que através de bastante perseverança consegue ter sucesso na arte que escolheu para a sua vida.
Iniciando a sua carreira no Kickboxing já após ter ultrapassado os 20 anos de idade, Trinaldo evoluiu para o MMA onde conseguiu sucesso em organizações brasileiras como o Jungle Fight.
Isso acabou por lhe abrir as portas da casa do primeiro TUF brasileiro onde rapidamente se tornou muito querido para os brasileiros, assim como demonstrou capacidades que poderiam evoluir no octógono.
Já como parte do “roster” do UFC, Massaranduba chegou a compilar um registo de sete vitórias na organização, acabando por ver essa sequência interrompida na sua última luta frente a um dos mais recentes “contenders” ao cinturão interino da divisão, Kevin Lee.
Com um “striking” que soube refinar com o tempo, Trinaldo tornou-se um lutador bastante astuto, um pouco diferente daquele lutador que batia forte, mas que também acumulava bastantes estragos.
Trinaldo acaba por ter o seu calcanhar de Aquiles na luta de solo, especialmente frente a lutadores bastante físicos com capacidade de avolumar queda após queda, e todas as derrotas do brasileiro ocorreram normalmente nesse terreno.

Jim Miller de 34 anos é um dos rostos mais antigos da organização e que curiosamente irá bater nesta luta o recorde de aparições no UFC, com a sua 28ª luta, destronando lutadores como Tito Ortiz e Frank Mir.
Um colecionador de bónus de luta, especialmente o de luta da noite que já venceu por seis vezes, Miller é um lutador bastante eficaz e agressivo especialmente no tapete. Em pé sabe-se defender, mas raramente consegue ultrapassar nesse terreno lutadores mais evoluídos e polidos.
As suas performances vêm decaindo ligeiramente com o tempo e nas suas últimas dez lutas, perdeu seis, das quatro vitórias duas foram em decisões divididas que poderiam muito bem ter ido para o outro lado. 

Temos aqui um dos confrontos com potencial para ser luta da noite.
Dois lutadores veteranos, extremamente duráveis, experientes e que por norma deixam tudo no terreno.
Trinaldo tem aqui uma considerável vantagem caso a luta se mantenha em pé. É mais poderoso fisicamente e desenvolveu com o tempo uma excelente capacidade de contra-ataque baseada na sua forte mão esquerda, para além de ser mais expedito e mais solto nos golpes.
Miller se quiser aumentar as suas chances de vitória terá de levar a luta para baixo de forma a explanar o seu grappling superior, mas vejo esta hipótese como muito remota pois não acredito que o norte americano tenha capacidade física para deixar Massaranduba de costas no chão ou apanhar as costas do mesmo.
Enquanto “striker” superior, Trinaldo deverá manter uma pressão constante sobre Miller e da qual o americano, apesar da sua dureza, dificilmente sairá.
Com o apoio da torcida caseira, Massaranduba deverá levar a vitória seguramente na decisão dos juízes.


Aposta: Francisco Trinaldo @1.50 Bet365

Aposta secundária: Francisco Trinaldo por decisão @2.20 Bet365




 


Casas de Apostas: bet pt / Betclic / ESC Online / Nossa Aposta / Casino Portugal

Rede Apostaganha: Apostas e Prognósticos / Palpites e Dicas de Apostas / Pronósticos de Apuestas / Betting Tips and Predictions / Melhores Cassinos Online Brasil / Mejores Casinos Online de América Latina