Autor Tópico: Correio Electrónico: A Podridão da Sociedade Angolana (Crónica)  (Lida 275 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Dunadan

  • Magnata
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Set 2005
  • Localidade: Lisboa
  • Mensagens:
    218230
  • Nacionalidade: 00
  • Pts Tipsr:
    359
Este desabafo foi escrito ontem à noite por uma angolana e achei que devia partilhá-lo, mas que não seja, para lembrar que a uns quantos milhares de quilómetros de distância, há pessoas com problemas que nós nem estamos ao corrente que pudessem existir. Mas este é também um problema que os angolanos e as angolanas têm de resolver. ;)



"A Podridão da Sociedade Angolana
Date: Wed, 27 May 2009 22:30:55 +0100

 
 
Depois de ouvir na rádio esta manhã o caso da rival que queimou a casa da outra, com relatos ridiculos que só não dá pra rir porque duas meninas inocentes perderam a vida, decidi enviar esse texto.
 
Vivo numa sociedade em que a mulher perdeu a estima.
As mulheres da sociedade angolana de hoje, classificam-se a si mesmas como a "própria" ou a "outra".
Ambos grupos parecem satisfeitos com a posição que ocupa ou tentam consolar-se com a ideia que nesta sociedade há menos homens do que mulheres.

A própria portanto, são as mulheres casadas, noivas ou namoradas que por serem "oficialmente" conhecidas ou tal, cumprem os oficiosos deveres e obrigações do nome que sustentam, sem no entanto sequer usufruirem dos plenos direitos de pedir satisfações da vida do seu marido, para que não seja intituladas de possesivas, ciumentas, ou inseguras.
Que estatuto é este?


A outra, que até ja teve dto a musica, é muitas vezes uma mulher que não tendo a "capacidade" ou possibilidade de ter um compromisso sério com um homem descomprometido, sujeita-se estar ao seu dispor quando este puder ou entender estar com ela, mas não só, podem até ser mulheres casadas insatisfeitas com a relação que têm.
Muitos dizem que é pela situação financeira. Se assim for, acho que quem "vende-se" por um sustento, tem outro nome...
 
O mais ridículo é que hoje em dia, a propria sabe que existe a outra e a outra sabe que existe a propria.
Se as mulheres procuram afirmar-se na sociedade nãos erá esta a melhor forma. Acho que não é um problema de falta de amor de um homem, o problema é de falta de amor próprio.

O que existe tambem são homens que são pais de familia e maridos, mas só de nome.
Homens casados que levam vida de solterios e pais de familia que não sabem o que é um programa de fim de semana em familia.
Criam-se familias modelos.. Sim, digo modelos mas é Modelos bons de fotografia, de aparecerem na revista Caras. Se calhar ainda só se chamam familia porque levam o mesmo nome e vivem no mesmo tecto.

Os filhos chamam-no de pai porque foi quem os gerou(e isso é a unica coisa que o angolano ainda faz bem), mas além de saberem que o dever do pai é dar o sustento a casa, pouco ou nada fazem em conjunto com os pais.
Ver um pai a ajudar o filho nos trabalhos de casa, só no filme missão impossivel 4.
Pois a desculpa é que não temos tempo, trabalhamos e o engarrafamento... mas quase que se instutionalizou que a sexta feira é o dia do homem (???)...o que sinceramente cá pra mim parece que estende-se ao sabado e muitas vezes ao domingo.
Entao quando é o dia de ser pai? de ser marido? se de segunda a sexta somos todos trabalhadores...
Que exemplo de familia terão esses filhos?
Vá lá antes...os homens ausentavam-se porque iam para a guerra, ou tinham porque tinham que trabalhar fora...
 

A verdade é que eu acho que quando um jovem quer curtir.... tem que curtir muito, e quando quer namorar tem que namorar muito, e não é quando se casam que querem curtir. Alguma coisa esta errada nesta ordem...
 
O que dizer dos casamentos de hoje, quando as pessoas que se casam já sabem que este relacionamento que existe é um relacionamento feito a 3 ou a 4, ou quem sabe ainda mais.
Como irão durar? Se a base de qualquer relação humana e principalmente o casamento é o respeito, que por sinal já esta perdido e a confiança nem sequer existe.
 
Concluindo, não sou uma mulher com problemas de auto-estima, e sou independente financeiramente, portanto não pretendo ser a própria nem a outra de ninguem, apenas eu mesma!
 
Para uma sociedade consciente, reflicta!



Falei e disse, Luanda 2009

 

obs: a parte a vermelho é para os homens."


Se faltarem acentos, não tenho culpa. :assobio:
« Última modificação: 28 de Maio de 2009, 18:45 por Dunadan »



gerrikabeitia

  • Milionário
  • g
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Jun 2006
  • Localidade:
  • Mensagens:
    1904
    Pts Tipsr:
    14
Concluindo, não sou uma mulher com problemas de auto-estima, e sou independente financeiramente, portanto não pretendo ser a própria nem a outra de ninguem, apenas eu mesma!

E tem muito bem dito. A guerra já acabou há muito e existem cada vez mais mulheres licenciadas em Angola que com o passar do tempo serão como esta angola, independentes financeiramente.
E se precisam de afecto, não faltam tugas lá na terra à procura de quem necessite de amor!!!



mara

  • Magnata
  • m
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Jun 2006
  • Localidade: Vila Praia de Âncora / Covilhã
  • Mensagens:
    46536
  • Nacionalidade: pt
  • Pts Tipsr:
    1633
Esperava muita coisa do Duna, mas nunca um post destes que diga-se esta exelente  :venia: :venia: :venia: :venia:
Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.



Forum de Apostas

Re: Correio Electrónico: A Podridão da Sociedade Angolana (Crónica)
« Responder #2 em: 28 de Maio de 2009, 20:06 »


 


Casas de Apostas: bet pt / Betclic / ESC Online / Nossa Aposta / Casino Portugal

Rede Apostaganha: Apostas e Prognósticos / Palpites e Dicas de Apostas / Pronósticos de Apuestas / Betting Tips and Predictions / Melhores Cassinos Online Brasil / Mejores Casinos Online de América Latina