Autor Tópico: Um génio com 8 anos  (Lida 423 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

DrPoe

  • Bilionário
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2006
  • Localidade:
  • Mensagens:
    2547
    Pts Tipsr:
    198
em: 28 de Janeiro de 2009, 20:24




mackies

  • Multimilionário
  • m
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2006
  • Localidade: Coimbra
  • Mensagens:
    6809
    Pts Tipsr:
    202
em: 28 de Janeiro de 2009, 20:50
Brutal :venia:




BrunoAlex

  • Magnata
  • B
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Abr 2007
  • Localidade: Coimbra
  • Mensagens:
    50551
  • Nacionalidade: pt
  • Pts Tipsr:
    2500
em: 28 de Janeiro de 2009, 20:53
Primeira palavra com duas semanas? :shock: :shock: :shock: :venia: :venia: :venia:
QUERES CONHECER O PROJECTO MAIS REVOLUCIONADOR ALGUMA VEZ CONHECIDO NO MUNDO DAS APOSTAS?

:cool: www.betarena.com :cool:



Forum de Apostas

Re: Um génio com 8 anos
« Responder #2 em: 28 de Janeiro de 2009, 20:53 »

DrPoe

  • Bilionário
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2006
  • Localidade:
  • Mensagens:
    2547
    Pts Tipsr:
    198
em: 28 de Janeiro de 2009, 22:11
O diálogo com 1 ano de idade sobre a vida intra-uterina também parece tirada de um filme.

Provavelmente ainda se lembrava do que era estar dentro da barriga da mãe... digo eu :roll:



Fred

  • Visitante
em: 28 de Janeiro de 2009, 23:43
amazing



Dunadan

  • Magnata
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Set 2005
  • Localidade: Lisboa
  • Mensagens:
    218230
  • Nacionalidade: 00
  • Pts Tipsr:
    359
em: 01 de Fevereiro de 2009, 18:40
Tem piada que de todos os sobredotados em idade infantil apenas um, que me lembro, ficou para a história: Mozart.

Parece que nascem com um intelecto mais competente que outras crianças da mesma idade, mas na idade adulta, acabam por ser de certa forma, "apanhados" na corrida. Isto não quer dizer que em termos de rendimento intelectual, as pessoas não sobredotadas, atinjam o nível daqueles, mas parece que no geral, acabam por não ficar muito atrás... :s

É que no fundo, ser-se sobredotado não é a mesma coisa que ser-se um génio.
« Última modificação: 01 de Fevereiro de 2009, 18:43 por Dunadan »



GODZI

  • Magnata
  • G
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2005
  • Localidade: Quarteira
  • Mensagens:
    21450
    Pts Tipsr:
    260
  • Banido!
em: 01 de Fevereiro de 2009, 18:54
Primeira palavra com duas semanas? :shock: :shock: :shock: :venia: :venia: :venia:

I don't belive!!!!  :cool:



Sérgio_

  • Multimilionário
  • S
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Abr 2006
  • Localidade: V.N.Famalicao / Porto
  • Mensagens:
    5820
    Pts Tipsr:
    70
em: 01 de Fevereiro de 2009, 18:55
fake :lol:
AG Champions Cup Winner
O meu é maior do que o teu: 186.327



Forum de Apostas

Re: Um génio com 8 anos
« Responder #7 em: 01 de Fevereiro de 2009, 18:55 »

aNHaDuH

  • Multimilionário
  • a
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2006
  • Localidade: Lisboa
  • Mensagens:
    4266
    Pts Tipsr:
    165
em: 02 de Fevereiro de 2009, 14:16
Está um pouco excessiva a história não? :mrgreen:
"Você nunca sabe que resultados virão da sua acção, mas se não fizer nada, não existirão resultados." Gandhi



raoc

  • Rico
  • r
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Abr 2006
  • Localidade:
  • Mensagens:
    903
    Pts Tipsr:
    4
em: 02 de Fevereiro de 2009, 15:41
Tem piada que de todos os sobredotados em idade infantil apenas um, que me lembro, ficou para a história: Mozart.

Parece que nascem com um intelecto mais competente que outras crianças da mesma idade, mas na idade adulta, acabam por ser de certa forma, "apanhados" na corrida. Isto não quer dizer que em termos de rendimento intelectual, as pessoas não sobredotadas, atinjam o nível daqueles, mas parece que no geral, acabam por não ficar muito atrás... :s

É que no fundo, ser-se sobredotado não é a mesma coisa que ser-se um génio.
E a maior parte fica descompensada noutras areas!



Dunadan

  • Magnata
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Set 2005
  • Localidade: Lisboa
  • Mensagens:
    218230
  • Nacionalidade: 00
  • Pts Tipsr:
    359
em: 02 de Fevereiro de 2009, 15:42
A propósito: http://duas-metades.blogspot.com/2007/09/ser-sobredotado.html


Sexta-feira, 21 de Setembro de 2007
Ser sobredotado
Estava eu no meu canto do sofá a olhar para a televisão, quando começa um programa da treta em que iam de falar de pessoas sobredotadas.
Bom, como não tinha mesmo nada mais interessante para fazer, resolvi ficar a ouvir aquela conversa da treta.
E no fundo a conversa não foi muito além da treta mesmo.
Meninos crescidos, com níveis de QI superior ao normal, mas que tentavam ser felizes à sua maneira e com a protecção incondicional dos pais.
Mas essa gente sabe lá o que é sofrer enquanto sobredotado.
Ser rejeitada pelos pais porque se é diferente, ver os meus pais evitarem falar comigo só porque não sabiam responder às minhas perguntas.
Ir para a escola primária e não ter amigos porque todos pareciam tão fúteis, tão “crianças”; e sentir que eles me viam de um modo diferente, viam-me como a menina que tinha a mania que sabia tudo.
Não imaginam o desespero que era tentar arranjar coisas para fazer e para descobrir durante o dia inteiro (sim, porque na altura não existia Internet em casa).
Ir para a escola e passar horas intermináveis a olhar para a janela enquanto os meus colegas aprendiam a ler e a escrever. Nunca ninguém se deu ao trabalho de me explicar que aquela era a idade correcta para aprender a ler e a escrever. Era mais fácil mandarem-me estar quieta e calada do que explicar-me porque é que eu tinha de estar ali.
Mas pronto, ao fim de quatro longos anos, lá mudei para uma escola onde pelo menos já havia mais coisas interessantes, e já começava a perceber que era eu que era diferente e não todos os outros à minha volta.
É claro que a indiferença familiar continuava, o olhar de lado por parte dos colegas também (bom, sempre se aproximavam quando precisavam da minha ajuda para estudar ou fazer trabalhos), mas pelo menos sentia mais interesse e não me levantava de manhã tão triste.
Os anos passaram, o insucesso escolar não existiu mas fui obrigada a deixar de estudar por força das circunstâncias, e quando cheguei ao mercado de trabalho os fantasmas voltaram.
Como é que é possível alguém ficar vinte anos a fazer o mesmo trabalho? Como? Será que não se cansam? Será que não têm mais objectivos? Ou será que sou mesmo eu que continuo um bocado diferente?
Em seis anos de trabalho fiz o que muitos não fazem numa vida inteira (não me estou a vangloriar, nada disso). Fiz formações atrás de formações, desenvolvi trabalho paralelo, ajudei colegas, e posso-me dar ao luxo de ter tido um patrão que sempre me apoiou e compreendia que eu precisava de estar ocupada e de fazer várias coisas ao mesmo tempo.
Mas chegou uma altura em que não havia mais degraus para subir. O que é que eu ia fazer? Passar o resto da vida estagnada? Claro que não! Isso seria como que morrer. O meu próprio patrão (amigo) disse-me que compreendia perfeitamente que aquele emprego e aquela cidade se estavam a tornar pequenos demais para mim.
Resolvi ir embora dali, daquele lugar onde me estava a sentir atrofiada.
E hoje, mesmo ao fim de me conhecer há vinte e seis anos, continuo a ter conflitos internos, continuo a achar que o Mundo não foi feito à minha medida e que jamais me conseguirei adaptar a ele.
Mas pronto, voltando ao início, fiquei completamente atónita com a falta de conhecimento sobre como os sobredotados sem dinheiro são tratados em Portugal.
Esses meninos que vão falar à televisão, são coitadinhos porque são sobredotados, mas têm uma família de suporte, dinheiro para investir no futuro e as portas abertas para o Mundo.
E os outros?
Todos aqueles meninos e meninas que, sendo sobredotados, passam a vida infelizes porque ninguém investe neles, porque ninguém lhes explica que ser sobredotado não é ser um monstro, porque não têm sequer uma oportunidade de dar largas ao conhecimento.
Desses ninguém fala! Com esses ninguém se importa!
No fim de contas a única coisa que mais desejava era ter podido nascer noutro país, ou melhor, ter nascido uma pessoa normal…



awesome

  • Moderadores
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Jul 2008
  • Localidade: Amora
  • Mensagens:
    25991
  • Nacionalidade: pt
  • Pts Tipsr:
    1831
em: 02 de Fevereiro de 2009, 15:45
Fonix com 8 anos já anda a pinar gajas da universidade cá heroi  :venia: :venia:

ou isso é só em Portugal ??? cof cof
QUERES CONHECER O PROJECTO MAIS REVOLUCIONADOR ALGUMA VEZ CONHECIDO NO MUNDO DAS APOSTAS?

:cool: www.betarena.com :cool:



DrPoe

  • Bilionário
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2006
  • Localidade:
  • Mensagens:
    2547
    Pts Tipsr:
    198
em: 02 de Fevereiro de 2009, 17:26
E a maior parte fica descompensada noutras areas!

Também tenho essa ideia.
Quando se fala em sobredotados geralmente referem-se a áreas específicas, matemática, biologia, música, etc mas o que acontece é que muitas vezes são alunos medianos a outras áreas.



Dunadan

  • Magnata
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Set 2005
  • Localidade: Lisboa
  • Mensagens:
    218230
  • Nacionalidade: 00
  • Pts Tipsr:
    359
em: 02 de Fevereiro de 2009, 17:32
Não confundir com certas pessoas que sofrem de atrasos mentais, mas que são muito bons a cálculos matemáticos ou a decorar informação. ;)



DrPoe

  • Bilionário
  • D
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Nov 2006
  • Localidade:
  • Mensagens:
    2547
    Pts Tipsr:
    198
em: 02 de Fevereiro de 2009, 17:46
Não confundir com certas pessoas que sofrem de atrasos mentais, mas que são muito bons a cálculos matemáticos ou a decorar informação. ;)

O autismo é um desses exemplos.
(Rain man - Encontro de irmãos: filme baseado num caso real)




 


Casas de Apostas: bet pt / Betclic / ESC Online / Nossa Aposta / Casino Portugal

Rede Apostaganha: Apostas e Prognósticos / Palpites e Dicas de Apostas / Pronósticos de Apuestas / Betting Tips and Predictions / Melhores Cassinos Online Brasil / Mejores Casinos Online de América Latina