Autor Tópico: NCAAF - 2019/2020 Season  (Lida 281 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 24 de Agosto de 2019, 19:44



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 24 de Agosto de 2019, 19:46
Hawaii Rainbow Warriors vs Arizona Wildcats
24/08 - 23:30 (BRT)

O jogo:
Os primeiros passos da temporada 2019 de College Football começam a ser tomados neste sábado, para fechar a noite e praticamente dobradinha com o clássico da Florida mais cedo, teremos um jogo que promete ser divertido dado a grandes chances de alta pontuação de ambas equipes. Por mais que não sejam duas equipes de grande tradição dentro da FBS buscam reviver bons tempos de Bowls que jogaram há não muito tempo, para isso começar bem na chamada "Semana 0" é essencial. Dado o investimento feito principalmente em suas instalações e contratações de técnicos, assim como pertencer a uma divisão mais forte e com maior visibilidade, Arizona consegue capturar melhores jogadores do high-school e assim tem um elenco melhor, porém enfrentará uma viagem longa até o Havaí, onde enfrentará uma equipe acostumada a jogar a Semana 0 e que tem potencial para surpreender, desta maneira vejo favoritismo do WIldcats para vencer a partida, mas não por mais de um touchdown de vantagem conforme as linhas estão precificando.

Hawaii Rainbow Warriors:
No ano passado a equipe começou extremamente quente, em sete semanas estava 6-1 e sonhava bem distantemente do título de divisão, no entanto uma sequência de quatro derrotas derrubou qualquer expectativa e mesmo com duas vitórias nas últimas partidas, a derrota para Lousiana Tech no Hawaii Bowl fez com a temporada tivesse cara de derrota. Entre os dois times, o ataque de Hawaii é o que realmente se destaca, com um treinador com técnicas bem audaciosas, o jogo aéreo com certeza continuará sendo a principal força da equipe que continua com junior redshirt Cole McDonald como quarterback, ano passado o jogador conseguiu 3,875 jardas de passes, 36 passes para touchdowns e apenas 10 intercepções, comandando a equipe para liderança em passes e recepções na Mountain West. No entanto, McDonald não terá um dos recebedores mais talentosos que passaram pela faculdade, Josh Urshoa foi draftado pelo Seahawcks e podemos ver maior variação de passes, principalmente para os seniors wide receivers Cedric Byrd e JoJo Ward, uma notícia boa é que a linha ofensiva manteve cinco jogadores da última temporada, o que deve dar maior segurança ao quarterback além que este esta 100% recuperado de sua lesão da temporada passada o que deve aumentar ainda mais seu rendimento.
Rankeada como a centésima defesa do país no ano passado é preciso um grande desenvolvimento para conseguir vôos mais longos, no entanto a manutenção de nove titulares e a continuação de seu treinador são bons sinais do que está por vir, porém os números sofridos no ano passado são extremamente altos como 35 pontos por jogo e média maior que 200 jardas terrestres, então qualquer ajuste e melhora é no mínimo necessário.

Arizona Wildcats:
Cotado para terminar em terceiro na divisão Sul da Pac-12, viu seu rival de estado não só passa-lo como derrota-lo na última partida e tirar qualquer possibilidade de Bowl. No entanto, era um resultado esperado dado que uma temporada de estreia de Kevin Sumlin como head coach e Noel Mazzone como coordenador ofensivo, mas tudo isto dentro de um grande projeto de longo prazo onde houve gastos superiores a quarenta milhões de doláres em centro de treinamentos e reestruturação de estádio para voltar as boas temporadas de quase duas décadas atrás.
O ano é 2019 e todos os principais treinadores continuaram com suas posições, além das contratações de DeMarco Murray e Kyle DeVan como assistentes técnicos. A estrela do time continua sendo o quarterback Khalil Tate, depois de um 2017 fantástico quando conseguiu 1,591 jardas por passes and 14 passes para touchdowns e apenas nove interceptações, correndo conseguiu números ainda mais expressivos como 1,411 jardas e 12 touchdowns. No entanto, ano passado foi "decepcionante" dado a hype existente sobre o garoto, a lesão no tornozelo fez com que ele perdesse a dinâmica das jogadas com os pés e apesar disso conseguiu números expressivos com passes, arremesando para 2,530 jardas e 26 touchdowns e 8 interceptações. Sem abusar do jogo corrido do quarterback, J.J. Taylor apareceu como surpresa e podemos dizer que fez um excelente trabalho com 175.6 jardas por jogo, não permitiu que o ataque ficasse totalmente dependente do jogo aéreo.
Poucas mudanças substanciais na defesa dos Wildcats, junior linebacker Colin Schooler continua como principal nome da defesa mas apesar da qualidade que possui pouco pode fazer para melhorar a situação geral da defesa, ano passado terminou como a décima em jardas totais e pontos da Pac-12, as expectativas é que o tempo e mais um ano Marcel Yates contribua para o desenvolvimento dos jogadores mas pouco acredito nisto.

Conclusão:
Se existem jogos conhecidos como ataque contra defesa, este seria definido como ataque contra ataque e acredito que combina perfeitamente para um sábado antes da Week 1. Ambas equipes precisam da vitória para solidificar a campanha que fizeram dentro da conferência e principalmente para terem maior probabilidade de jogar um Bowl no final da temporada. Acredito que o grande diferencial entre os dois é que Tate é mais experiente e técnico que MacDonald, no entanto é necessário ver qual é sua real situação de saúde e como a equipe irá reagir caso tenha problemas para marcar e saia atrás do placar. Deste modo, vejo como um jogo mais disputado que as linhas prevêem, com uma chuva de pontos mas pouca diferença no placar final.

Minha pick é: Hawaii Rainbow Warriors +10,5 (Handicap Asiático) 1,90 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 30 de Agosto de 2019, 04:22
Oregon State Beavers vs Oklahoma State Cowboys
30/08 - 23:30 (BRT)

O jogo:
Um jogo de diversas similaridades fecha a primeira sexta-feira de futebol americano universitário dos Estados Unidos. As similaridades citadas ocorrem em torno de diversos fatos sobre as faculdades, a primeira e mais notória é que ambas vestem laranja e preto, a segunda que suas abreviações são iguais de modo que são conhecidas como OSU, por fim são comandadas por antigos alunos que foram quarterbacks no passado, com o head coach de Oklahoma no final da década de 80, enquanto Jonathan Smith jogou no início dos anos 2000. O favoritismo é claramente para os visitantes dado o ótimo retrospecto que a equipe carrega nos últimos anos apesar da temporada abaixo da expectativa no ano passado. Já as expectativas para os Beavers não são grandes dada a conferência que participa, mas a esperança de melhora com o segundo ano com o mesmo treinador.

Oregon State Beavers:
Apesar de ser seu primeiro trabalho como head coach era difícil esperar que Jonathan Smith tivesse um trabalho pior que seu antecessor que obteve um desempenho desastroso em 2017, quando conquistou apenas uma vitória. Com as devidas proporções o trabalho de Smith não foi tão superior em resultados, dado que conquistou apenas uma a mais que Gary Andersen, no entanto o desempenho nas partidas elevou um pouco mais a expectativa para essa temporada. O principal ponto de evolução certamente foi o ataque, com a experiência de ser extremamente bem sucedido em Washington onde conseguiu números expressivos e após sua saída grandes quedas é esperado que consiga corrigir os erros da temporada e aumentar ainda mais a média de pontuação por jogo. No ano passado a equipe conseguiu em média 26,7 pontos, para isto contará com a volta de Jake Luton como quarterback, veterano que já tem seis anos de elegibilidade e que agora terá sua prova de fogo, porém os destaques da equipe são Jermar Jefferson que despontou como surpresa no ano passado ao bater o recorde da universidade em jardas corridas para um calouro com 1380, além de anotar doze touchdowns. Isaiah Hodgins principal recebedor dos últimos anos contará com o mesmo quarterback pela primeira vez e com certeza isto influenciará para ter números ainda melhores, a dúvida permanece em como a linha ofensiva se comportará com a entrada de três novos jogadores e um péssimo desempenho na temporada passada, minha expectativa é de melhora dado as seleções feitas serem melhores que a média e principalmente por Smith já ter trabalho como coordenador ofensiva e saber como administrar este setor.
É praticamente impossível a defesa dos Beavers ter uma temporada tão ruim como a passada, rankeada como a penúltima dos 130 times da FBS tanto por pontuação sofrida como por jardas cedidas a reconstrução quase completa era o único caminho para alguma melhora. A transferência de diversos jogadores de Nebraska, Oklahoma e Juniors College dá esperança de que novos nomes podem mudar a situação depressiva que aconteceu no ano passado, porém é impossível prever alguma coisa além de que terão que atuar muito mal para conseguirem chegar próximo do que foi ano passado.

Oklahoma State Cowboys:
Uma das coisas dadas quase como certas nos esportes americanos era que o time de Mike Gundy chegaria a um Bowl com grandes chances de vencer. Isto porque desde sua temporada de estreia a universidade nunca teve uma temporada com mais derrotas que vitórias e a campanha do ano passado chegou muito próximo de quebrar esta escrita. A dúvida que restou é como um dos treinadores mais longevos da NCAA faria para recuperar o time no caminho já trilhado tantas vezes e pouco foi respondido na pré-temporada.
Ofensivamente existem grandes mudanças para os Cowboys, a primeira é a saída de seu quarterback da última temporada Taylor Cornelius e a dúvida até o momento não respondida certamente de quem será o titular: Spencer Sanders ou Dru Brown. Ao que tudo indica, o redshirt freshman começara sua trajetória com os Cowboys dado sua versatilidade e jogo de pés evoluído, independente de quem for o quarterback este estará bem servido dado que Tylan Wallace será uma de suas opções e com certeza a mais utilizada dado que o wide-receiver está entre os cinco melhores recebedores universitários. Chuba Hubbard é o principal nome no jogo terrestre dada as ótimas atuações contra Oklahoma, West Virginia, TCU e Missouri com média de 106,4 jardas por partida.
A perda de seis jogadores da defesa com certeza fará diferença em termos de experiência para os Cowboys, mas dado a desconfiança gerada nestes dado o baixo desempenho na temporada passada as mudanças não devem ser tão drásticas. As esperanças surgem pelo bom represamento do jogo corrido na temporada passada permitindo "apenas" 4,6 jardas por carregada, os ganhos na defesa área devem ser mais massivos estes ano dado que contarão com três safeties que tiveram bom tempo de jogo ano passado, além disso não houve mudanças na coordenação o que aumenta a chance de consolidação e entrosamento entre o time.

Conclusão:
Oklahoma State vai a campo com muitas dúvidas, a primeira delas é sobre seu quarterback que apesar de ter um boa avaliação ainda não fez nenhum jogo de college em sua estreia, ainda mais jogando fora de casa deve sentir a pressão deixando cair a qualidade de seu ataque. Do outro lado, Oregon State precisa confirmar que está em evolução e ao menos forçar mais turnovers e third downs diferentes do ano passado, ofensivamente é esperado que tenha uma grande atuação dado a fraqueza e inexperiência dos recém chegados a equipe dos Cowboys. Posição por posição os Beavers ainda estão a um longo caminho de brigar contra times mais consolidados como Oaklhoma State, mas a vantagem de dois touchdowns para mim é absurda dada a incerteza de diversos jogadores dos visitantes e assim espero um jogo mais acirrado, principalmente por ser estreia na temporada e provavelmente com uma torcida mais pulsante.

Minha pick é : Oregon State Beavers 1,90 + 14 (HA) 1,90 @ Betway



Forum de Apostas

Re: NCAAF - 2019/2020 Season
« Responder #2 em: 30 de Agosto de 2019, 04:22 »

iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 30 de Agosto de 2019, 04:24
Oregon State Beavers vs Oklahoma State Cowboys
30/08 - 23:30 (BRT)

O jogo:
Um jogo de diversas similaridades fecha a primeira sexta-feira de futebol americano universitário dos Estados Unidos. As similaridades citadas ocorrem em torno de diversos fatos sobre as faculdades, a primeira e mais notória é que ambas vestem laranja e preto, a segunda que suas abreviações são iguais de modo que são conhecidas como OSU, por fim são comandadas por antigos alunos que foram quarterbacks no passado, com o head coach de Oklahoma no final da década de 80, enquanto Jonathan Smith jogou no início dos anos 2000. O favoritismo é claramente para os visitantes dado o ótimo retrospecto que a equipe carrega nos últimos anos apesar da temporada abaixo da expectativa no ano passado. Já as expectativas para os Beavers não são grandes dada a conferência que participa, mas a esperança de melhora com o segundo ano com o mesmo treinador.

Oregon State Beavers:
Apesar de ser seu primeiro trabalho como head coach era difícil esperar que Jonathan Smith tivesse um trabalho pior que seu antecessor que obteve um desempenho desastroso em 2017, quando conquistou apenas uma vitória. Com as devidas proporções o trabalho de Smith não foi tão superior em resultados, dado que conquistou apenas uma a mais que Gary Andersen, no entanto o desempenho nas partidas elevou um pouco mais a expectativa para essa temporada. O principal ponto de evolução certamente foi o ataque, com a experiência de ser extremamente bem sucedido em Washington onde conseguiu números expressivos e após sua saída grandes quedas é esperado que consiga corrigir os erros da temporada e aumentar ainda mais a média de pontuação por jogo. No ano passado a equipe conseguiu em média 26,7 pontos, para isto contará com a volta de Jake Luton como quarterback, veterano que já tem seis anos de elegibilidade e que agora terá sua prova de fogo, porém os destaques da equipe são Jermar Jefferson que despontou como surpresa no ano passado ao bater o recorde da universidade em jardas corridas para um calouro com 1380, além de anotar doze touchdowns. Isaiah Hodgins principal recebedor dos últimos anos contará com o mesmo quarterback pela primeira vez e com certeza isto influenciará para ter números ainda melhores, a dúvida permanece em como a linha ofensiva se comportará com a entrada de três novos jogadores e um péssimo desempenho na temporada passada, minha expectativa é de melhora dado as seleções feitas serem melhores que a média e principalmente por Smith já ter trabalho como coordenador ofensiva e saber como administrar este setor.
É praticamente impossível a defesa dos Beavers ter uma temporada tão ruim como a passada, rankeada como a penúltima dos 130 times da FBS tanto por pontuação sofrida como por jardas cedidas a reconstrução quase completa era o único caminho para alguma melhora. A transferência de diversos jogadores de Nebraska, Oklahoma e Juniors College dá esperança de que novos nomes podem mudar a situação depressiva que aconteceu no ano passado, porém é impossível prever alguma coisa além de que terão que atuar muito mal para conseguirem chegar próximo do que foi ano passado.

Oklahoma State Cowboys:
Uma das coisas dadas quase como certas nos esportes americanos era que o time de Mike Gundy chegaria a um Bowl com grandes chances de vencer. Isto porque desde sua temporada de estreia a universidade nunca teve uma temporada com mais derrotas que vitórias e a campanha do ano passado chegou muito próximo de quebrar esta escrita. A dúvida que restou é como um dos treinadores mais longevos da NCAA faria para recuperar o time no caminho já trilhado tantas vezes e pouco foi respondido na pré-temporada.
Ofensivamente existem grandes mudanças para os Cowboys, a primeira é a saída de seu quarterback da última temporada Taylor Cornelius e a dúvida até o momento não respondida certamente de quem será o titular: Spencer Sanders ou Dru Brown. Ao que tudo indica, o redshirt freshman começara sua trajetória com os Cowboys dado sua versatilidade e jogo de pés evoluído, independente de quem for o quarterback este estará bem servido dado que Tylan Wallace será uma de suas opções e com certeza a mais utilizada dado que o wide-receiver está entre os cinco melhores recebedores universitários. Chuba Hubbard é o principal nome no jogo terrestre dada as ótimas atuações contra Oklahoma, West Virginia, TCU e Missouri com média de 106,4 jardas por partida.
A perda de seis jogadores da defesa com certeza fará diferença em termos de experiência para os Cowboys, mas dado a desconfiança gerada nestes dado o baixo desempenho na temporada passada as mudanças não devem ser tão drásticas. As esperanças surgem pelo bom represamento do jogo corrido na temporada passada permitindo "apenas" 4,6 jardas por carregada, os ganhos na defesa área devem ser mais massivos estes ano dado que contarão com três safeties que tiveram bom tempo de jogo ano passado, além disso não houve mudanças na coordenação o que aumenta a chance de consolidação e entrosamento entre o time.

Conclusão:
Oklahoma State vai a campo com muitas dúvidas, a primeira delas é sobre seu quarterback que apesar de ter um boa avaliação ainda não fez nenhum jogo de college em sua estreia, ainda mais jogando fora de casa deve sentir a pressão deixando cair a qualidade de seu ataque. Do outro lado, Oregon State precisa confirmar que está em evolução e ao menos forçar mais turnovers e third downs diferentes do ano passado, ofensivamente é esperado que tenha uma grande atuação dado a fraqueza e inexperiência dos recém chegados a equipe dos Cowboys. Posição por posição os Beavers ainda estão a um longo caminho de brigar contra times mais consolidados como Oaklhoma State, mas a vantagem de dois touchdowns para mim é absurda dada a incerteza de diversos jogadores dos visitantes e assim espero um jogo mais acirrado, principalmente por ser estreia na temporada e provavelmente com uma torcida mais pulsante.

Minha pick é : Oregon State Beavers 1,90 + 14 (HA) 1,90 @ Betway

Correção que começa as 23:00(BRT), desculpe!



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 31 de Agosto de 2019, 03:38
Florida State Seminoles x Boise State Broncos
31/08 - 13:00 (BRT)

O jogo:
Um dos melhores jogos a se assistir no primeiro final de semana de futebol americano universitário, esta é com certeza a chamada de várias pequenas notícias do caderno de esporte de jornais americanos. Florida State recebe Boise State para tentar esquecer de vez a campanha do ano passado, quando pela primeira vez em quarenta e dois anos a equipe ficou com mais derrotas do que vitórias durante a temporada.  Boise State cada vez mais se consolida como uma das maiores forças do Group of Five, cinco conferências menores e teoricamente mais fracas pertencentes a FBS, nos últimos cinco anos acumulou cinquenta e duas vitórias, para este ano com a manutenção de seu treinador é esperado que a equipe lute por uma vaga em algum grande Bowl algo que fico bem próximo na temporada passada mas escorregou na última rodada e conseguiu uma vaga no 2018 First Responder Bowl que acabou sendo cancelado durante a partida devido ao tempo. O tempo que mais uma vez muda a situação de jogo dos Broncos, dado que o jogo era programado para acontecer na noite de sábado em Jacksonville, mas devido ao furacão Dorian foi transferido para tarde em Tallahassee.

Florida State Seminoles:
Uma marca bastante dolorosa caminhará ao longo do treinador Willie Taggart enquanto estiver no comando de Florida State, ter acabado com a sequência de trinta e seis aparições consecutivas em Bowls é algo marcante demais para ser esquecido apesar de ter feito bons trabalhos anteriormente. Para esta temporada é necessário uma mudança extremamente brusca para que seja reconhecido e tenha menor risco de ser demitido. Para isto, já começou trocando diversos treinadores tanto no ataque, defesa e até o coordenador de equipes especiais, resta saber se esta troca será suficiente ou o que falta mesmo é material humano de jogadores para voltar a ser um programa vitorioso.
O setor ofensivo foi um verdadeiro problema na temporada passada, com média de apenas 22 pontos por partidas e 380 jardas em média a equipe passou longe de ser dominante, chegando a ter cinco jogos com menos de 14 pontos anotados o que é quase que essencial em um jogo da NCAA para garantir a vitória. Para esta temporada muitas mudanças, a começar pelo quarterback James Blackman assumirá o controle da equipe e apesar de ter menos status que seus anteriores companheiros de posição é dado como uma opção ok e que não será inconsistente como os últimos. Porém, pouquíssimos quarterbacks conseguiriam sobreviver com a horripilante linha ofensiva dos últimos anos, por isto é interessante notar quão evoluída estará nesta temporada e este jogo servirá para isto, o jogo corrido é também uma incógnita com Cam Akers teve uma queda de rendimento de 30% certamente influenciado pela linha ofensiva, no entanto ter média 4.4 por carregada é algo bem ruim para um jogador do calibre do running back.
A notícia do retorno de oito jogadores da defesa para esta temporada seria ótima para grande parte das equipes da NCAA, para os Seminoles não é bem assim, além de ter perdido sua grande estrela Brian Burns para NFL, a equipe era a última na ACC em defesa de jardas aéreas e cedendo em média 32 pontos por partida. As mudanças terão que ser drásticas para que a equipe volte a lutar por rankeamento na NCAA e creio que terá um jogo muito difícil neste início de jornada.

Boise State Broncos:
As expectativas para esta temporada são bem diferentes da última, apesar de ter conquistado uma boa temporada com dez vitórias e três derrotas a equipe deixou a desejar ao não conseguir uma campanha mais firme para subir no ranking AP, terminando na vigésima terceira colocação, para essa temporada com grandes renovações em diversos setores é esperado uma temporada pouco abaixo, porém acredito que estão menosprezando uma equipe que foi muito bem ano passado.
Ofensivamente as perdas são grandes, não contar com um veterano consistente como Brett Rypien que se tornou o quarterback com mais jardas lançadas de toda história da Mountain West já é uma perda enorme, mas  Hank Bachmeier surge como nome perfeito para uma nova dinastia, o calouro teve ótimos números no high school e venceu o duelo interno contra o sophomore Chase Cord pela posição de titular, apesar de ainda não ter a mesma qualidade de Rypien pode surpreender . Esta certo que pouco mais da metade dos touchdowns recebidos da temporada foram embora com a saída de Sean Modster e AJ Richardson, porém o ganho de experiência de CT Thomas, John Hightower, Khalil Shakir, e Akilian Butler são plenamente suficientes para equilbrar as perdas e dar confiança para o novo quarterback. Outra grande perda está na posição de running back, repor a perda de Alexander Mattison é praticamente impossível por isto a equipe utilizará um revezamento na posição utilizando de três a quatro jogadores, a permanência de cinco jogadores da linha ofensiva garante uma segurança a mais para esta manobra dado que a equipe nos últimos anos constantemente foi uma das melhores no jogo corrido.
A dúvida na defesa não é pelos jogadores, mas a troca de comando. A saída de Andy Avalos com certeza diminui o potencial da melhor defesa do Group of Five, mas os Broncos é uma das poucas equipes que contarão com nove jogadores na defesa que tem pelo menos nove jogos como titulares na carreira, fora este indicativo de experiência a equipe já vem fazendo um bom trabalho há algum tempo, ano passado conseguiu 38 sacks, maior número na Mountain West e além disso permitiu pouco mais de 3 jardar por carregada, sem grandes mudanças nos nomes e posições em campos a solidez deve permanecer por mais uma temporada.

Conclusão:
Um jogo bastante perigoso com Florida State tentando demonstrar que a temporada passada já acabou e uma nova era ira se formar sob o comando de Willie Taggart, no entanto enfrenta uma das melhores equipes do Group of Five e uma vitória contra uma equipe da ACC pode significar grandes avanços nos rankings. Acredito que será praticamente impossível os Seminoles conseguirem uma boa atuação ofensiva, primeiro pela falta de ritmo de jogo e o grande desenvolvimento necessário dado o péssimo desempenho no ano passado, mas também pela consistente defesa que os Brancos possuem sem nenhum grande talento individual mas coletivamente eficiente. Por sorte os mandantes enfrentarão um ataque que está sob reconstrução e por isso é difícil prever como será sua atuação dado o alto volume de mudanças, mas uma coisa pra mim é clara, será bem difícil atuar tão mal a ponta de marcar menos de vinte pontos e pra mim é bem complicado para que os Seminoles marquem mais de 25 pontos.

Minha pick é: Boise States Broncos + 6,5 (HA) 1,87 @ Betway



Tiago.Magalhães

  • Multimilionário
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Out 2014
  • Localidade:
  • Mensagens:
    5752
  • Nacionalidade: pt
  • Pts Tipsr:
    2730
em: 31 de Agosto de 2019, 05:12
Tenho muita pena que as casas, legais, portuguesas não deixem apostar em nada da NCAA.
Ia divertir-me muito a fazer prognósticos no basquetebol e a seguir picks daqui de football!



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 31 de Agosto de 2019, 05:55
Boston College Eagles x Virginia Tech Hokies
31/08 - 17:00 (BRT)

O jogo:
Apesar de ser times da mesma conferência ACC, a diferença entre divisões faz com que Boston College e Virginia Tech pareça uma partida interconferência. No entanto, ambas equipes se encontram todo ano neste jogo interligas em que Hokies tem uma grande vantagem histórica com o dobro de vitórias (dezoito) do que seu adversário. Apesar disso, no ano passado quem venceu foi a equipe de Massachussets, grande indicativo de como foi atípica para Virginia Tech foi a última temporada. No entanto, o jogo ganha contornos de suma importância dado a grande dificuldade que é a conferência sendo que já na primeira partida da temporada temos um jogo que provavelmente terá grande peso na classificação da temporada. Sinceramente acredito que o favoritismo até que contido dos visitantes se baseia muito mais na história do programa durante as últimas décadas do que a situação atual das equipes, deste modo acredito em um jogo apertado, porém com vantagem para os Eagles e que aposta no handicap positivo para os mandantes é uma aposta até que conservadora para as condições do jogo.

Boston College Eagles:
Com certeza a empolgação dos estudantes e torcedores de Boston College neste ano não é comparável ao início de temporada do ano passado quando a equipe figurava entre as vinte e cinco rankeadas pela AP Pool na pré-temporada, as grandes expectativas foram se dissipando praticamente jogo a jogo no ano passado, começando por uma terrível mas esperada derrota para Clemson. Este ano o adversário com certeza não é uma das cinco melhores equipes do país, mas o elenco decaiu dada a perda de algumas peças centrais, porém não acredito que seja o bastante para coloca-los tão abaixo como apontado pelas cotações.
Apesar da perda de seu coordenador defensivo e contratação de Scot Loeffler e contratação de um novo treinador que nunca esteve nessa função, a escolha não poderia ter sido melhor no meu ponto de vista. Mike Bajakian tem a experiência de NFL de treinar jovens quarterbacks para o futuro, agora terá a chance de mostrar trabalho cuidando de um time inteiro. A começar terá que rever a linha ofensiva dada as numerosas perdas (quatro titulares) e forma-la diante de um ótimo jogador Ben Petrula, a missão desse nova linha é continuar com o trabalho feito no ano passado que permitiu AJ Dillon ser "candidato" ao Heismann com mais de 1000 jardas corridas e dez touchdowns anotados apesar de ter ficado fora de duas partidas devido a lesões. No jogo aéreo é o ponto a ser mais desenvolvido, ano passado Anthony Brown completou apenas 55% de seus passes e agora sem seus três principais recebedores terá que abusar de Kobay White que já mostrou ter qualidade na temporada passada, se isto será suficiente ainda é cedo para saber, no entanto deve incomodar consideravelmente neste primeiro jogo de temporada.
A defesa é provavelmente onde a equipe sofreu mais mudanças, primeiramente uma troca interna ao promover o treinador de linebackers para coordenador defensivo e o antigo coordenador voltando para a posição de treinador de defensive ends. A mudança faz sentido dado a grande mudança de composição de jogadores da defesa, com apenas quatro titulares voltando da defesa que conseguiu ser décima primeira da ACC.

Virginia Tech Hokies:
A temporada passada foi uma das mais desastrosas da história do programa da faculdade, primeiramente a equipe ficou com mais derrotas que vitórias pela primeira vez desde 1992, mudar este panorama será uma árdua tarefa para toda comissão técnica dado que não houve grandes chegadas e a experiência adquirida do ano passado com certeza não foi a ideal.
O ataque será liderado por Ryan Willis que surgiu como uma das poucas boas surpresas ao substituir Josh Jackson que sofreu contusão no começo da temporada, com o quarto melhor rating da ACC com certeza influenciado por Damon Hazelton e Tre Turner recebedores que fizeram excelente temporada e agora contará com ajuda de dois transferidos Eric Kumah e Chris Cunningham. No entanto, o jogo terrestre continua como um grave problema, com uma linha ofensiva muito jovem praticamente sem juniors e seniors a equipe tende a ter mais uma temporada totalmente dependente do jogo aéreo, principalmente porque não contará com Steven Peoples que apesar de não ter uma temporada brilhante praticamente carregou os running backs com 786 jardas e 6 touchdowns.
Rumores de saída do coordenador Bud Foster foram escutados durante toda a temporada e só pararam dado ao pronunciamento que esta será sua temporada de despedida. Dado o histórico de Foster ano passado foi realmente um desastre, com uma das defesas mais jovens de toda NCAA com nove freshmen e sophomore a equipe conseguiu os piores números de pontos sofridos, sacks, interceptações e jardas cedidas em 23 anos. No entanto a dúvida que permanece é se experiência será o bastante para mudar tanto o jeito de jogar do setor, na minha opinião não e por isto não vejo favoritismo para os Hokies na partida,

Conclusão:
A defesa de Virginia Tech com certeza não está bem preparada para enfrentar um jogador do nível de AJ Dillon, dependendo da evolução da linha ofensiva e de como Brown irá reagir as novas instruções. Do outro lado, o ataque de Virginia não pode ser culpado pela última temporada, porém fez pouco comparado ao ano passado e agora a dúvida é quão resistente será a nova defesa dos Eagles. Jogos tão acirrados e principalmente na primeira partida da temporada tendem a ser decididos no detalhe, uma equipe jogando em casa e sem pressão tende a se sair melhor nessa situação, por isso acredito até que o favoritismo esteja invertido, no entanto também vejo espaço para uma vitória dos Hokies, por isso acho um handicap acima de field goal quase que ideal para aposta na partida.

Minha pick é: Boston College Eagles +4,5 (HA) 1,90 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 31 de Agosto de 2019, 05:59
Tenho muita pena que as casas, legais, portuguesas não deixem apostar em nada da NCAA.
Ia divertir-me muito a fazer prognósticos no basquetebol e a seguir picks daqui de football!

Sim, é uma pena mesmo...tenho uma conta na EscOnline e gostaria de gastar meu bonus em tantas boas oportunidades. São muitos jogos o que abre margem para ótimas entradas!



Forum de Apostas

Re: NCAAF - 2019/2020 Season
« Responder #7 em: 31 de Agosto de 2019, 05:59 »

iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 31 de Agosto de 2019, 15:54
Liberty Flames x Syracuse Orange
31/08 - 19:00 (BRT)

O jogo:
Uma partida de completos opostos acontece entre Liberty Flames e Syracuse Orange. Primeiro por ser um jogo interconferência de duas equipes em situações totalmente opostas, enquanto os mandantes é uma equipe independente que vem gastando fortunas para conseguir jogar contra equipes bem rankeadas e avaliadas, Syracuse começa a temporada rankeada depois de muitos anos sem conseguir tal marca. Com toda certeza temos um claro favorito e caso os Oranges não vençam hoje será possivelmente a maior zebra da semana 1 e uma das maiores de toda a temporada. Muito diferente do ano passado quando Liberty também convidou um time fora de sua conferência (Old Dominion Monarchs) e apesar destes viajarem como bons favoritos, a linha estava -5,5 para os visitantes conseguiram uma grande vitória com quarenta e dois pontos de vantagem. No entanto, a diferença entre Old Dominion e Syracuse é gigante, principalmente nesta temporada e não vejo possível resultado sem ser uma grande vitória dos visitantes caso não ocorra uma catástrofe.

Liberty Flames:
Uma temporada muito diferente dos últimos anos acontece para a equipe de Virginia, primeiro porque o renomado e consagrado head coach Turner Gill decidiu se aposentar dos campos, há sete anos comandando o time já era casual esperar boas temporadas de Liberty sobre seu comando tanto que concluiu sua carreira com 47-35, um retrospecto respeitável para uma equipe independente. Em seu lugar foi contratado Hugh Freeze, treinador de Ole Miss por cinco temporadas conseguiu números satisfatórios em Mississipi com 39 vitórias e 25 derrotas, porém ficou em maior evidência dado notícias extra-campo com relações a respeito de sua vida privada que o levaram a demissão. Tudo parecia certo até as últimas semanas quando o técnico sofreu uma gravíssima infecção e correu risco de vida, no entanto se recuperou e estará a beira do campo neste sábado.
Ofensivamente não deve haver grandes mudanças na equipe, com o retorno de oito titulares a equipe deve manter o bom desempenho que fez a equipe ficar entre o top 50 ataques na temporada passada com uma média de 33 pontos por partida.  Para isto contará novamente com um ataque liderado por Steven Calvert que conseguiu mais de 3000 jardas na temporada passada com 21 touchdowns e 18 interceptações, quatro dos cinco principais recebedores voltam para 2019 e é esperado números semelhantes de Antonio Gandy-Golden, principal alvo que teve mais de 1000 jardas recebidas e 10 touchdowns. O jogo terrestre também fez ótimo trabalho no ano passado quando conseguiu mais de 2000 jardas algo que não era visto no programa desde 2014, que com a manutenção de Frankie Hickson e chegada de jogadores mais fortes fisicamente deve melhorar ainda mais.
A defesa foi o grande problema ano passado, entre as dez piores considerando total defense é difícil que em tão pouco tempo a equipe consiga melhorar tanto. Sofrendo principalmente com o jogo aéreo a equipe permitiu mais de quarenta pontos sete vezes durante a temporada, a retomada de sete titulares para esta não parece ser suficiente para que a expectativa melhore sobre o setor.

Syracuse Orange:
Dino Babers vem fazendo uma revolução em Nova Iorque desde a sua chegada ao programa, ser um competidor a nível nacional era uma das falas mais recorrentes do treinador mas ninguém acreditaria que isto aconteceria tão rápidamente. Mas, a temporada passada e as expectativas para esta não poderiam ser melhores, vindo da primeira temporada com dez vitórias desde 2001 a equipe merece o melhor ranking AP (22) deste século na história do programa.
As mudanças são grandes no comandante pós snap para os Oranges, DeVitto o novo quarterback é muito mais um quarterback de pocket que gosta de analisar e ser preciso em seus passes do que Eric Dungey, um grande playmaking quarterback que com certeza deixará saudades. No entanto, não há muito o que reclamar dado que as poucas oportunidades que o sophomore teve soube aproveitar bem e além disto o jogo terrestre estará bem estabelecido fazendo uma boa divisão de jogadas que com certeza dificultará a vida de qualquer defesa da FBS e uma confusa como dos Flames com certeza terá pouco tempo para respirar. Liderando o jogo corrido temos Moe Neal, um talentosíssimo running back que volta para sua última temporada com grandes chances de fazer história e chegar a NFL, com marcas de 5,5 jardas por carregada é o quinto da história do programa e com certeza quer deixar sua marca em sua despedida. Sem nenhum grande nome, mas um conjunto coeso de receveirs que tem como qualidade carregadas longas, como Nykeim Johnson que anotou três touchdowns percorrendo mais de 40 jardas. A linha ofensiva sofreu três perdas e levanta algumas dúvidas, mas dado o trabalho de Babers nos últimos anos isto deve ser o menor dos problemas.
A evolução da defesa dos Oranges de 2017 para 2018 foi algo notável, não só pelos bons números reduzindo as jardas por jogada de 6.6 para 5.8 e os pontos sofridos de 32.7 para 27, mas pela forma agressiva que resultava em um jogo extremamente dinâmico e gostoso de assistir, não a toa liderou o ranking de turnovers de toda Big Five com 38 anotados o que apesar da perda de seus dois principais linebackers não deve ser afetado tão crucialmente.

Conclusão:
Apesar das grandes mudanças que acontece no ataque dos Oranges, a defesa de Liberty está muito abaixo de qualquer ataque que enfrentar dentro do Big Five, ano passado quando enfrentou UVA e Auburn sofreu 45 e 53 respectivamente, hoje não vejo razões para não repetir números semelhantes. Ofensivamente também não conseguirá repetir números iguais a estreia do ano passado, enfrentando um programa que tem como ponto forte a defesa será o maior desafio dos últimos anos e apesar dos bons nomes que carrega eles conseguem números tão altos devido os Flames serem independentes e não jogar constantemente contra equipes fortes como Syracuse, em um teste de fogo com dificuldade de preparação vejo uma vitória confortável dos Oranges como muito provável.

Minha pick é: Liberty Flames Menos de 24,5 Pontos (Equipe da casa total de pontos) 1,95 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 01 de Setembro de 2019, 16:25
Oklahoma Sooners x Houston Cougars
01/09 - 20:30 (BRT)

O jogo:
Certamente não foi a decisão mais querida para Oklahoma a troca de data de sua estreia na NCAA para a transmissão televisiva do jogo. No entanto, acredito que isto pouco impactará na partida em si e os torcedores continuarão a comparecer em peso na expectativa de mais uma boa temporada. Com certeza a última lembrança dos visitantes contra Oklahoma é marcante dado ao péssimo e inesperado resultado conquistado em 2016 quando perdeu para os Cougars também na estreia de temporada por 33-23 quando quando os mandantes ainda contavam com o hoje quarterback dos Browns Baker Mayfield. Para o jogo de hoje, apesar das grandes mudanças que aconteceram na pré-temporada nas comissões técnicas, uma vitória dos visitantes é ainda mais improvável dado a ótima temporada feita por Oklahoma no ano passado e a não tão empolgantes dos Cougars. No entanto, vejo uma grande euforia sem reais explicações sobre o ataque dos Sooners, passando por mudanças e sem grandes afirmações até o momento acredito que seja muito difícil a equipe conseguir mais que dobrar a pontuação feita por Mayfield anos atrás, está certo que ambas equipes são totalmente diferentes de outrora, mas Houston não é uma equipe morta como as cotações estão apontando.

Houston Cougars - Defesa:
A pré temporada da equipe do Texas foi no mínimo agitada, a contratação de um head coach saindo de uma universidade do Power 5 para o Grupo of 5 já é algo bem incomum, mas os cinco anos de contrato no valor de vinte milhões de dólares fizeram   Dana Holgorsen trocar West Virginia por Houston em 2019. A expectativa com esta transferência é que a universidade consiga campanhas parecidas com as conquistadas por Tom Herman quando em 2015 conseguiu treze vitórias e apenas uma derrota e também era treinador no último confronto mencionado contra Oklahoma.
Os maiores problemas que o novo treinador irá enfrentar com certeza são defensivos e não a toa contratou Joe Cauthen para ser coordenador defensivo para provocar mudanças drásticas tanto taticamente como emocionalmente em seus jogadores. No ano passado a equipe teve uma das piores defesas da história do programa, com o recorde de pontos sofridos (642), jardas cedidas (6,454) e touchdowns corridos (42). A chegada de Cauthen promete muito mais agressiva como foi vista quando este comandou Arkansas State, a primeira grande mudança e visando parar a sangria no jogo terrestre é a mudança de três para quatro homens de frente na formação. A volta de sete titulares não é algo totalmente comemorável e a perda de Ed Oliver com certeza será muito sentida durante a temporada, porém houveram mais de cinco jogadores de Junior College buscando correções imediatas para a temporada, além disso o recrutamento de Nathan Ceaser e Colin Samuel da UCLA deve adicionar maior dinamismo a defesa, não acredito que com tantas mudanças a equipe sofrerá o mesmo fracasso do ano passado.

Oklahoma Sooners - Ataque:
Aparentemente virou uma tradição para os Sooners recrutarem quarterbacks de transferência e este conseguirem ótimos números depois sendo draftados para a NFL, o primeiro foi Baker Mayfield que saiu de Texas Tech para brilhar em Oklahoma conquistando o Heisman Trophy, o segundo foi Kyle Murray que saiu de Texas A&M para assim como o primeiro brilhar em Oklahoma e também conquistar o Heisman. Diferente dos outros dois Jalen Hurts chegou de Alabama após uma temporada como backup no ano passado, resta saber se apenas com um ano de elegibilidade conseguirá o mesmo sucesso de seus antecessores. Com vinte e seis vitórias e apenas duas derrotas como titular em Alabama é difícil crer que ele não tenha experiência suficiente na NCAA, mas a chegada na nova universidade aconteceu somente em janeiro e prever a química com os novos companheiros é uma tarefa árdua. A permanência dos running backs Trey Sermon e Kennedy Brooks dão uma grande segurança ao jogo corrido, ambos combinaram para 2,003 jardas e 25 touchdowns na última temporada e esperado que repitam os bons desempenhos. As opções de wide receivers não são tão confiáveis quanto poderiam ser, com destaque somente para CeeDee Lamb e tight end Grant Calcaterra, resta saber quão adaptável será Hurts para novos alvos. Porém, o maior problema do setor nessa temporada com certeza será a linha ofensiva, uma das melhores se não a melhor do ano passado tendo recebido o prêmio Joe Moore Award, não contará com o retorno de quatro titulares, portanto praticamente uma linha nova o que deve causar primeiramente uma falta de entrosamento nas primeiras partidas e dificilmente dará suporte para números tão fantásticos como da temporada passada. Com tantas mudanças, é difícil saber o real potencial ofensivo da equipe e acredito que as cotações estão sobre valorizando este número sem ao menos uma partida.

Conclusão:
Por pior que a defesa dos Cougars tenha sido no ano passado esta será totalmente diferente deste ano dados as grandes mudanças na comissão técnica e jogadores. A mesma coisa acontece com o ataque dos Sooners, Jalen Hurts está bem longe de ser Kyler Murray ou Baker Mayfield, dificilmente conseguirá ser tão eficiente nos passes como estes dois e não tem a mesma velocidade de Murray que é capaz de mudar cada jogada, com uma linha ofensiva nova deve enfrentar ainda mais problemas, sem um wide receiver de peso com a saída de Hollywood Brown precisará encontrar um novo alvo favorito. Com tantas mudanças em tão pouco tempo, acredito ser muito improvável que a equipe consiga mais de cinquenta pontos em sua primeira partida.

Minha pick é: Oklahoma Sooners Menos de 51,5 pontos (Equipe da Casa Total de Pontos Menos de 51,5) 1,90 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 02 de Setembro de 2019, 02:49
Louisville Cardinals x Notre Dame Irish
02/08 - 21:00 (BRT)

O jogo:
É estranho e extremamente raro que duas faculdades que estejam a tanto tempo na FBS como Louisville e Notre Dame tenham se enfrentando apenas uma vez na história, ainda mais que as duas universidades são relativamente próximas (aproximadamente 250 milhas) comparados a outros confrontos mais comuns na temporada. No primeiro e único confronto até o momento Louisville levou a melhor com uma vitória de 33-28 em Novembro de 2014. Encerrando a primeira semana de college football no dia do trabalho dos Estados Unidos temos de novo este confronto e muito dificilmente teremos o placar igual a cinco anos atrás ou até próximo daquilo. Depois de conseguir uma temporada perfeita até a semi final, Notre Dame mais uma vez começa a temporada com expectativas altas, enquanto Louisville tenta apagar qualquer resquício de memória da temporada da temporada passada dado o fiasco que foi. Baseando-se nisto e nas perspectivas para a temporada vejo uma grande diferença entre as equipes, principalmente no ataque de Notre Dame, ano passado a equipe conseguiu bons números apesar de um calendário mais apertado. Este ano para não correr risco algum e subir ainda mais nos rankings é necessário pontuar nestas partidas.

Louisville Cardinals - Defesa:
A máxima que nada está tão ruim que não possa piorar não é totalmente aplicável a temporada passada, depois de um começo com derrotas vergonhosas a situação da equipe pouco melhorou, tanto que o head coach Bobby Petrino foi demitido com duas semanas antes do fim da temporada. Para seu lugar foi contratado Scott Satterfield, sabendo da dificuldade que teria inicial os treinos de pré-temporada quase um mês antes do que comumente inicia e por suas palavras ainda está longe do ideal, piorar será uma tarefa muito difícil mas a questão é que mesmo no ano passado a equipe não chegou a enfrentar equipes tão bem preparadas como Notre Dame.
A defesa foi o ponto mais crítico da temporada passada, mas é um problema há algum tempo. Sem conseguir fixar nenhum coordenador defensivo, os Cardinals vão para seu quinto coordenador diferente em cinco anos, não é possível que se ganha experiência e desenvolva com tantas trocas. Bryan Brown, o novo coordenador defensivo terá que fazer um milagre para repetir a liderança em total defense como fez quando estava com Appalachian State. Mesmo com a volta de sete titulares isto não traz garantia nenhuma pois a equipe sofreu em média quarenta e quatro pontos por partida e cedeu 489, sendo que 277 destas foram corridas. O trabalho a ser feito é muito grande e levará muito mais que uma pré temporada para ser corrigido e o trabalho de agora continuará se baseando em poucos nomes como Dorian Etheridge e C.J. Avery surgem como novas lideranças como linebackers, além disso Russ Yeast um ótimo recrutamento da temporada passada estará disponível em conjunto com Rodjay Burns, resta saber quão vai ser o nível da melhora ou se realmente haverá melhora.

Notre Dame Irish- Ataque:
Das últimas quatro temporadas em três Notre Dame conseguiu ter pelo menos dez vitórias, cada vez mais a equipe de Indiana se consolida como candidata para importantes bowls. Na temporada passada terminou a temporada regular invicta e participou pela primeira vez dos college playoffs, apesar da larga derrota sofrida contra a posterior campeã Clemson a sensação foi de uma ótima temporada, as expectativas continuam altas para esta temporada, rankeada como nono tanto no AP Pool como Coach Pool, pra se manter assim e buscar novamente os playoffs precisará vencer bem estas partidas iniciais e acredito que tem pelo menos ataque para isto.
Ian Brook foi uma agradável surpresa para os Irish na temporada passada, tomando a posição de Brandon Wimbush e realmente transformando o ataque da equipe, com números esplendidos conseguidos rapidamente como pelo menos dois passes para touchdown por jogo em todas suas oito partidas como titulares e média de 307 jardas aéreas por partida foi um dos motores que levaram a equipe a ter um desempenho tão bom na temporada. Com quatro titulares da linha ofensiva retornando não haverá grandes mudanças para o quarterback que deverá manter bons números, já o jogo corrido levanta mais dúvidas dado a saída de Dexter Williams, dos recebedores também dois dos quatro que mais receberam passes no ano passado se formaram, mas em ambas posições ainda sobram opções boas e a classe de recrutados promete ainda mais disputas pelas vagas.

Conclusão:
A média de pontuação de Notre Dame ano passado foi de justamente 37 pontos, acredito que caso tivesse jogado contra Louisville a universidade seria um dos três confrontos mais tranquilos que teria. Os Cardinals sofreram pelo menos 52 pontos nas últimas cinco partidas de 2018, a troca de comando e alterações na equipe devem surtir efeito no longo prazo, mas para o jogo de amanhã a diferença de qualidade entre as equipes é muito grande e se os Irish fizerem uma partida ruim/média conseguirá bater a marca proposta.

Minha pick é: Notre Dame Irish mais de 36,5 pontos (Equipe visitante total de pontos - Mais de 36,5) 1,90 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 07 de Setembro de 2019, 05:06
Missouri Tigers x Missouri
07/09 - 13:00 (BRT)

O jogo:
Apesar de terem começado a temporada com resultados diferentes, o péssimo desempenho une West Virginia e Missouri. Um confronto que no passado era especial dado a ótima qualidade de seus quarterbacks agora se torna secundário na programação com ambos times tentando se reconstruir, mas alinhado com um discurso de que os rankings da pré temporada estão errados e que estas equipes tem muito a mostrar. Será bem difícil apagar as memórias da primeira rodada, West Virginia conquistou uma vitória extremamente suada contra uma equipe da "segunda divisão" do college football, conseguindo a vitória em uma arrancada de dez pontos no último quarto. Missouri também tem que esquecer sua rodada inaugural, com uma derrota nada planejada contra Wyoming em uma das maiores zebras da primeira rodada a equipe terá que fazer uma ótima partida para voltar a ter qualquer esperança de um bom bowl neste ano. Fechando assim, temos duas equipes que precisam consertar seus carros em movimento, grandes mudanças ocorreram tanto na equipe como na comissão técnica de ambas e as aparições na estreia foram horrendas. Assim, ainda vejo os mandantes com maior vantagem, apesar da derrota tem um time mais equilibrado e podem reverter a situação, a duvida é como West Virginia irá se comportar contra uma equipe da SEC, se o ataque não foi bem contra George Madison, imagino que irá ainda pior contra Missouri por isso vejo a linha deste jogo supervalorizada.

Missouri Tigers - Defesa:
A punição da NCAA sobre o programa parecia que seria a maior derrota de 2019 para os Tigers, as sanções vão desde anulações de vitórias, perda de bolsas para atletas, até restrições no recrutamento que podem ser muito danosas no longo prazo. Porém, a temporada 2019 parecia até tranquila e bem planejada até domingo passado. Em uma exibição horrorosa da equipe, perdeu por 37-31 para Wyoming e assim as dúvidas de quão estável está Barry Odom sob o comando da equipe, tem um bom teste neste sábado e não acredito que irá perde-lo.O que mais surpreendeu da derrota foi o péssimo jogo defensivo da equipe, principalmente no jogo terrestre, foram 297 jardas e três touchdowns de uma equipe que no ano passado teve média de jardas terrestres cedidas abaixo da metade disto (126.5, 22 melhor nacionalmente) e média de 3.7 jardas por carregada, no jogo de sábado o quarterback Sean Chambers teve média de 10 jardas por carregada, enquanto o running back Xazavian Valladay teve 7.4 de média. Os motivos para tamanha desordem? O pass rush de Missouri nem se apresentou ao jogo foram duas tackles for loss e nenhum sack, algo inimaginável para um equipe de college. No entanto, não vejo motivo para crer que será sempre assim, a equipe manteve seis titulares comparado ao ano passado, a secundária não apresentou grandes problemas na estreia, foram somente 92 jardas aéreas e conseguiu manter o bom nível de passe completo com apenas 6 de 16 tentados, resta saber se o problema do jogo corrido será corrigido em uma semana e com um resultado tão desanimador como aquele, é necessário que esteja para não ocorrer uma transformação total do elenco e comissão técnica para o ano que vem.

West Virginia Mountaineers - Ataque:
As expectativas em 2018 eram altas tanto que a campanha com oito vitórias e quatro derrotas foi considerada ruim por muitos, porém as esperanças em 2019 são terríveis e não é pra menos, primeiro perdeu seu treinador Dana Holgorsen dos últimos anos para uma universidade do Group of Five, além disso todas suas estrelas do ataque (Will Grier, David Sills V, Gary Jennings e Yodny Cajuste) foram embora, porém era esperado muito mais que uma vitória por um touchdown conquistada no último quarto como foi no sábado.Austin Kendall foi escolhido como quarterback titular para temporada, depois de disputar e perder a vaga para Kyle Murray na temporada passada em Oklahoma, agora tem que compensar a saída de Grier e podemos dizer que foi um dos poucos que não desapontaram na primeira rodada, com 297 jardas lançadas, 2 touchdown e 66.7% de passe completo fez o seu trabalho, agora enfrentará o primeiro grande desafio para saber se realmente está a altura de seu antecessor agora na NFL. Por outro lado, a grande esperança dos Mountaineers eram os runninngs backs, Kennedy McKoy, Martell Pettaway e Leddie Brown combinaram para 1871 jardas corridas no ano passada e as 34 conseguidas no último sábado contra uma equipe da FCS parecem brincadeira. Se a linha ofensiva era uma questão aberta na pré-temporada agora já é possível uma resposta e esta não é nada animadora, com uma atuação desastrosa mostrou uma grande dependência Yodny Cajuste, Kendall sofreu pressão durante a noite toda e desdobrou para conseguir seus passes, já os running backs pouco conseguiram com tantos buracos. Com uma defesa mais bem postada e melhor taticamente, não vejo grandes saídas para Neal Brown ajustar tão rapidamente a situação.

Conclusão:
É difícil balizar toda a temporada por apenas um jogo, mas a estreia de ambas equipes mostraram que suas temporadas não serão tão boas quanto seus técnicos repercutiam para a imprensa. Para Missouri é ainda pior dado que nem desempenho nem resultado foi conquistado na primeira semana, no entanto vejo motivos para acreditar que pelo menos a defesa conseguirá uma partida melhor neste sábado. Primeiro por ser praticamente a mesma da temporada, diferente da temporada passada e se o desempenho no jogo terrestre foi terrível frente aos Cowboys, a mesma coisa pode-se dizer dos Mountaineers, porém West Virginia conseguiu se salvar na habilidade de seu novo quarterback, agora frente uma equipe de melhor qualidade acredito que terá bem mais dificuldade e não vejo porque conseguiria um maior número de pontos comparado a primeira rodada nesta situação.

Minha pick é: West Virginia Mountaineers Menos de 24 Pontos (Equipe Visitante Total de Pontos) 1,95 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 07 de Setembro de 2019, 15:41
Kentucky Wildcats vs Eastern Michigan Eagles
07/09 - 20:30 (BRT)

O jogo:
Tanto Kentucky como Eastern Michigan começaram a temporada com o pé direito ao vencerem em suas estreias na semana 1. Os Eagles assim como nessa semana não jogaram em Michigan, foram até Conway e venceram Coastal Carolina em jogo extremamente penoso, porém a vitória veio depois de uma primeira metade em que a equipe não conseguiu consolidar, mas já era esperado um jogo apertado tanto que a linha apontava quatro pontos de desvantagem para os visitantes que no fim conseguiram sete. Do outro lado, Kentucky vai para seu segundo jogo em casa, assim como o adversário desta noite teve um início complicado na partida de estreia, porém conforme a partida foi aflorando a equipe foi se soltando e acabou até que vencendo confortavelmente pro 38-24, também batendo a linha que apontava favoritismo de nove pontos e meio. As diferenças dos adversários são gigantescas e por isto não podemos equiparar as vitórias, no entanto não vejo os Wildcats em tão superioridade conforme as linhas colocam, é claro que são favoritos e será uma grande surpresa caso não vençam, mas vejo maior ou igual dificuldade que teve contra Toledo na última semana.

Kentucky Wildcats:
Não é possível comparar os Wildcats do ano passado com este, a campanha histórica (melhor em quarenta anos) com dez vitórias e vencedora do Citrus Bowl é algo inimaginável para este novo elenco. As mudanças foram drásticas, começando que a equipe perdeu doze titulares, além disso jogadores chave como Josh Allen e Benny Snell também se despediram da equipe.Sem o running back recordista era esperado na temporada um maior balanceamento entre jogo terrestre e aéreo no ataque de Kentucky, as fichas estavam depositadas em Terry Wilson e podemos dizer que pelo menos na primeira partida ele correspondeu além das expectativas, com 246 jardas na estreia conseguiu 100 a mais que a média do ano passado que o colocava como um dos "piores" quarterbacks da conferência. Contudo, o jogo corrido não foi totalmente excluído dos playbooks dos Wildcats, mas não tanto como esperado, Assim Rose não foi o homem mais produtivo apesar de ter recebido pouco menos da metade de todos as carregadas, porém no total a equipe se portou bem com 176 jardas. A linha ofensiva também não decepcionou com apenas um sack na partida apesar da perda de três titulares, resta saber como irão reagir contra uma defesa mais experiente e melhor postada, não acredito que terão o mesmo sucesso.Os vinte e quatro pontos sofridos já dão um grande panorama que a defesa deste ano sem sete titulares estará muito longe da campanha passada, onde conseguiu média de apenas 16.7 pontos sofridos por partida. Apostando em recrutamento bastante agressivo é provável que consiga bons resultados no médio, longo prazo mas para o jogo de hoje duvido que fique abaixo dos vinte pontos.

Eastern Michigan Eagles:
Chris Creighton cada vez mais vem se mostrando um milagreiro, quando contratado o programa tinha ido apenas uma vez para um bowl, desde sua chegada já são dois bowls nos últimos três anos. As expectativas é que a equipe consiga repetir o mesmo desempenho da última temporada com sete vitórias e cinco derrotas, no entanto vejo em jogos como este oportunidade para equipe crescer e se consolidar cada vez mais como grande programa da FBS.Apesar de não ter sido titular absoluto ano passado, o redshirt senior Mike Glass III fez ótimo trabalho quando esteve em campo, foram mais de 1000 jardas arremessadas e nove touchdowns. A sua estreia na temporada não poderia ter sido melhor, primeiro porque completou todos seus onze passes do primeiro tempo, depois continuou em ótima forma conseguindo mais touchdowns, quatro no total que passes incompletos (dois). No jogo corrido foram 108 jardas de Shaq Vann que apesar de não ter anotado nenhum touchdown contribuiu diversas vezes durante as suas 22 corridas, a linha ofensiva que era uma incógnita se comportou bem dados os números mencionados, resta saber como atuará contra uma grande equipe, outro dado interessante foi a distribuição de passes do quarterback que alcançou oitos recebedores diferentes.A primeira partida não impressionou defensivamente como em outras temporadas dos Eagles, ano passado a equipe liderou a conferência em total defense e pontos sofridos, porém era um tanto quanto esperado dado a perda de seis titulares, com apenas um sack, a linha defensiva não foi tão influente como no passado, porém devemos destacar a ótima atuação da secundária, com quatro interceptações conseguiu os turnovers necessários para não deixar a derrota escapar. Hoje, espero um desempenho mais consistente defensivamente, caso o ataque consiga números parecidos com semana passada a equipe poderá importunar os mandantes.

Conclusão:
A diferença técnica entre as equipes é bem grande e com certeza veremos Kentucky dominar boa parte da partida, mas uma vantagem de mais de touchdowns parece totalmente injusta na minha opinião para uma equipe que vem de temporadas vitoriosas em anos anteriores e que teve uma estreia mediana/boa. Sem a força terrestre de outros tempos, Wildcats precisarão de mais uma boa atuação de seu quarterback, no entanto hoje enfrentará um pass rush muito mais atuante as chances de pontuações altas são bem baixas na minha opinião.

Minha pick é: Eastern Michigan Eagles +15,5 (Handicap Asiático) 1,90 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: 07 de Setembro de 2019, 21:19
Fresno State Bulldogs x Minessota Golden Gophers
07/09 - 23:30 (BRT)

O jogo:
Fresno State tem uma das melhores histórias da NCAA, em 2016 a equipe tinha perdido mais de dez jogos, em 2017 foi o segundo programa da história a conseguir dez vitórias depois de ter dez derrotas no ano anterior. Em 2018 conseguiu ser ainda melhor com doze vitórias e duas derrotas, porém a temporada 2019 tinha uma pedreira logo na estreia ao enfrentar USC e ao deixar escorregar essa vitória deixou em situação difícil repetir os mesmos números da temporada passada, ainda mais com o calendário tão difícil como desse ano. Em contrapartida, Minnessota não teve uma primeira semana tão impactante, apesar de vencer a equipe não conseguiu convencer, enfrentando um adversário da FCS as linhas apontavam pelo menos uma vitória por quatorze pontos, porém aconteceu uma partida muito mais disputada e a vitória chegou porém bem custosa pelo placar de 28-21. Desta maneira, Minnessota viaja para West Coast para manter sua invencibilidade contra uma das boas equipes do Group of Five, apesar dos desempenhos diferentes na primeiro rodada ainda acredito no favoritismo dos Golden Gophers no entanto vejo como mais forte ainda seu ataque e por isto confiarei na linha de pontos dos visitantes nesta pick.

Fresno State - Defesa:
Como disse na introdução, o head coach Jeff Tedford já entrou na história do programa pelo que fez em suas duas primeiras temporadas, um recorde de 22-4 com um time do Group of Five e duas aparições em bowls realmente provou sua grande qualidade técnica. No entanto, em 2019 Tedford terá que se renovar isto porque enfrenta a perda de doze titulares e além disso perda de membros importantes de sua comissão técnica, resta saber como suas reposições atuarão no restante da temporada, as impressões da primeira partida ficaram ambíguas.
Os Bulldogs no ano passado foram líderes em sua conferência e décimo sétimo nacionalmente em total defense, a média de pontos sofridos foi estupenda com apenas quatorze por partida. Os trinta e um pontos sofridos da estreia mostram que a perda de Jeffrey Allison e Mike Bell para NFL causaram grandes diminuições na qualidade do setor. A esperança para uma boa temporada defensivamente estava colocada em um bom desempenho da linha defensiva e da secundária que foram as posições que menos perderam jogadores comparativamente ao ano passado. A linha não conseguiu replicar tanto volume como no ano passado, com apenas um sack durante toda a partida os dois quarterbacks que jogaram de USC tiveram tempo suficiente para adquirir o resultado, não a toa conseguiram 272 jardas, mas o que era eficiente e explosivo no ano passado era como a equipe era impenetrável no jogo terrestre, sofrendo com third downs curtos a equipe viu Vavae Malepeai completar 134 jardas com certa facilidade. Era esperado que com a contusão de JT Daniels, QB titular de USC a equipe conseguisse subir de produção e até sufocar ainda mais o adversário, mas não foi visto isso. Acredito que nome a nome as diferenças como Minnessota não são tão grandes e marcar mais de vinte e quatro pontos parece uma marca ok de ser alcançada.

Minnesota Golden Gophers - Ataque:
A terceira temporada do head coach P.J. Fleck parece ser seu ano de breakeven e quem sabe colocar a equipe do Big Ten nos rankings nacionais. Isto porque ano passado a equipe era uma das mais jovens de toda NCAA e mesmo assim conseguiu uma campanha satisfatória com sete vitórias e seis derrotas. Mais experiente e ainda melhor recrutado é esperado que a equipe assuste Iowa, Wiscosin e Nebraska na conferência, mas para isto precisa de resultados bem melhores do que foi visto na primeira rodada.A volta de nove titulares para o setor ofensivo é algo marcante para equipe, lidera a Big Ten West em experiência e pela primeira vez na universidade Fleck contará com um quarterback que já atuou como titular em uma temporada passada. O escolhido para ficar sob o center foi Tanner Morgan que substituiu Zack Annexstad na temporada passada quando este se machucou, a prioridade para um jogo mais equilibrado entre aéreo e terrestre ficou clara e foi vista na primeira partida dado que 176 jardas vieram sobre passes e 132 corridas, bem diferente da primeira metade do ano passado. No campo de recebedores, Rashod Bateman continuou surpreendendo em seu segundo ano, se em sua primeira temporada havia conseguido 704 jardas e 6 touchdowns, contra South Dakota State conseguiu números suficientes com 132 jardas e um touchdown, All-Big Ten senior Tyler Johnson não fez sua melhor partida mas continua sendo como principal alvo da equipe e com certeza durante a temporada irá conseguir o que é esperado dele. As perdas na linha ofensiva não causaram nenhum grande problema, com Morgan tendo tempo suficiente dentro do pocket, assim pelo menos na parte ofensiva a equipe pareceu pronto para a temporada.

Conclusão:
A questão é o quanto Minnesota será eficiente na luta das trincheiras, os Golden Gophers tem uma linha ofensiva mais poderosa que dos Trojans por isso vejo uma certa vantagem que USC não teve na primeira partida. Apesar de não ter a mesma qualidade nos passes do quarteback que os californianos, contam com recebedores de maior nível técnico o que faz crer que são plenamente capazes de pelo menos repetir a mesma pontuação conseguida na semana passada.

Minha pick é: Minnesota Golden Gophers mais de 24,5 pontos (Equipe Visitante Total de Pontos) 1,90 @ Betway



iaguet

  • Rico
  • Estado:
    Offline
  • Registo: Ago 2012
  • Localidade:
  • Mensagens:
    791
  • Nacionalidade: br
  • Pts Tipsr:
    431
em: Ontem às 02:49
Temple Owls x Maryland Terrapins
14/09 - 13:00 (BRT)

O jogo:
Duas equipes que se encontram extremamente animadas com o resultado da última semana, protagonizam um bom jogo no início da tarde neste sábado. Temple recebe Maryland para seu segundo jogo da temporada, em casa e com o novo head coach Rod Carey, a estreia não poderia ser melhor com uma vitória bastante convincente por 56-12. Os visitantes também tem do que se orgulhar da última semana, conseguiram uma senhora vitória contra Syracuse jogando em casa por 63-20, a equipe do estado de Nova Iorque estava na vigésima primeira colocação do AP e depois desta derrota viu sua posição ser tomada por Maryland. As linhas caminham junto com o retrospecto do confronto, dos nove jogos disputados entre os programas, sete foram vencidos por Maryland e o handicap para partida também é sete em favor dos visitantes. Nada surpreendente dado a diferença de qualidade entre os jogadores e reconhecimento dos programas dentro da NCAA, porém o que se destaca da partida é que não era esperado começos tão "triunfais" de ambos e um jogo como este pode dizer quão realmente forte as equipes são e se todo o hype envolvido tem algum motivo razoável. Na minha opinião apesar dos placares elásticos da primeira partida, o que se destacou foi as defesas, enfrentando uma equipe da FBS não vejo o ataque de Temple marcando mais de dois touchdowns com tanta facilidade como no último sábado.

Temple Owls - Ataque:
A boa temporada no ano passado quando a equipe conseguiu oito vitórias e ficou atrás apenas de UCF em sua conferência, levou a universidade ao Independence Bowl mas também levou o head coach Geoff Collins para Georgia Tech mesmo antes do Bowl, com o time sendo comandado por um interino na derrota para Duke. A partir disso uma pequena loucura na comissão técnica, dado que anunciou um novo treinador (Manny Diaz), porém este nem chegou a treinar a equipe dado que voltou para sua antiga equipe Miami dado um convite para ser head coach lá também, por fim ficou com Rod Carey mas este não causou tão boa impressão como Collins tinha anteriormente.A mudança de coordenador ofensivo gerava alguma apreensão para saber o comportamento do setor em 2019, a manutenção de Anthony Russo como quarterback parecia certa e aparentemente ele continua em ótima forma como no ano passado, onde liderou a equipe em uma reviravolta para oito vitórias em dez partidas quando foi titular. Na semana passada o agora junior quarterback conseguiu números grandiosos, com 409 jardas e quatro touchdowns, completando 23 das 31 tentativas mostrou que já é quarterback sólido e confiável em sua segunda temporada. Boa parte disto passa sobre o bom número de retorno tanta da linha ofensiva como de wide receivers, respectivamente com quatro e três jogadores. Diferentemente do jogo terrestre que perdeu Ryquell Armstead e sem nenhuma grande estrela para substitui-lo vinha como grande incógnita, na primeira partida Re'Mahn Davis deu conta do recado e junto com seus companheiros acumularam 188 jardas  em 33 tentativas. Acredito que apesar da empolgação o resultado deve ser ponderado, Bucknell não é nem uma das melhores equipes da FCS e enfrentando uma equipe de qualidade de FBS devem surgir maiores problemas.

Maryland Terrapins - Defesa:
Incerteza era a palavra que definia os Terrapins na pré-temporada, isto porque a equipe passou por uma enorme reformulação tanto da comissão técnica, com a morte de um jogador durante um treino e consequente afastamento e demissão do head coach DJ Durkin. No elenco as mudanças também foram drásticas, muita renovação dado tanto o fim do ciclo de Durkin como outros seniors se formando, assim as duas ótimas vitórias no começo da temporada surgem como uma dádiva de uma temporada dos sonhos quando menos se espera.Boa parte da surpresa com os Terrapins é dado ao estupendo ataque que conseguiu 72 pontos na primeira partida contra Howard e enfrentando uma equipe rankeada como Syracuse não abaixou a cabeça e conseguiu 60 pontos. Porém, poucos notam o grandíssimo trabalho defensivo feito nas mesmas partidas, na estreia contra o time da FCS a equipe passou totalmente ilesa, sem sofrer um ponto se quer, contra os Oranges que haviam feito 24 pontos em Liberty, a equipe limitou estes a vinte e poderia ser menos se a vantagem no placar não fosse tão expressiva. O espanto vem do fato que na temporada passada a equipe não conseguiu bons números, cedendo 390 jardas por jogo e 28.4 pontos por partida certamente contribuiu para a ruim/média campanha. O retorno de apenas três titulares causava ainda mais furor e dramaticidade dado a tantas mudanças na equipe, o resultado até o momento é surpreendente. Com uma linha defensiva agressiva e realmente atuante, conseguiu limitar o jogo terrestre adversário a 33 jardas, ainda mais impressionante são os doze sacks até aqui e a grande pressão que faz no quarterback adversário, tantos linebackers como a secundária não passa a mesma confiança, porém acredito que se pararam Syracuse não terão grande dificuldade para dificultar a vida dos Owls.

Conclusão:
Acredito que o otimismo para Temple ainda se baseia na vitória conquistada por 35-14 no ano passado em Maryland, sendo o primeiro jogo de titular de Anthony Russo. Porém, as situações se inverteram durante a pré-temporada, apesar do bom início de ambas não sinto tanto confiança no desempenho dos Owls porque enfrentaram uma equipe muito mais fraca da FCS, do outro lado os Terps não podem deixar o desempenho fora de casa ser diferente das duas primeiras partidas. Caso consigo ao menos chegar perto da atuação defensiva que teve contra Syracuse, Temple ficará distante dos 30 pontos da linha.

Minha pick é: Temple Owls Menos de 29,5 pontos (Equipe da Casa total de Pontos) 1,90 @ Betway




 


Casas de Apostas: bet pt / Betclic / ESC Online / Nossa Aposta / Casino Portugal

Rede Apostaganha: Apostas / Palpites e Dicas de Apostas / Pronósticos de Apuestas / Betting Tips and Predictions